Publicado 25 de Março de 2015 - 5h30

Projeto de lei enviado pelo prefeito Jonas Donizette (PSB) à Câmara de Campinas esta semana vai tornar mais rigorosa a punição para quem for flagrado desperdiçando água no período da estiagem, que acontece entre os meses de abril a agosto. Atualmente, quem é flagrado, primeiro é advertido, e na reincidência, acaba multado em três vezes o valor da última conta de água. A nova lei elimina a advertência, indo direto para a aplicação da multa para quem for flagrado pela primeira vez. O endurecimento tem intenção de impedir que consumidores ainda utilizem água potável para a lavagem de calçadas com mangueiras, carros e caminhos públicos, por exemplo.A lei que proíbe o uso da água em ações do tipo passou a valer em fevereiro do ano passado, porém, era “paciente” com o usuário que desperdiçava o recurso. No ano passado, 92 pessoas foram notificadas pela Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa) pela prática, mas ninguém acabou multado. Quando a empresa recebia uma denúncia, um fiscal ia até a residência, comércio, indústria ou órgão público, e se no local flagrasse o desperdício, a pessoa era notificada. Caso ela não tivesse sido vista realizando a ação, era apenas orientada.Como a intenção continua não sendo a punição, mas educar, a Sanasa afirmou que vai montar cursos de uso sustentável e racional da água para a população, utilizando as aulas como alternativa às multas. Quem for flagrado e multado poderá escolher ficar livre da multa ou se frequenta as aulas. Periodicidade do curso, local, data de início estão ainda em análise.Também tramita na Câmara outro projeto prevendo punição para quem desperdiçar água. O projeto de lei é do vereador Gustavo Petta (PCdoB), que prevê multa de R$ 1 mil (350 Ufics) para a mesma situação. Petta informou que vai tentar fazer um substitutivo com partes de seu projeto e da Prefeitura, uma vez que ambos tratam do mesmo tema.Interrupção

A Sanasa vai interromper o fornecimento de água em cinco bairros de Campinas hoje. O corte, segundo a empresa, é necessário para dar “continuidade aos trabalhos de melhorias na rede de abastecimento de água da cidade”. O abastecimento será interrompido das 8h às 17h nos bairros Jardim Icaraí, Jardim Carvalho de Moura, Vila Noêmia e Jardim Stella. Parte do Jardim do Lago (continuação) também será afetada. A interrupção é necessária para que seja executado o serviço de interligação de redes. A Sanasa recomenda aos moradores a reserva antecipada e economia de água durante o período.

Campinas e Capivari procuram psicóloga

Os bombeiros de Capivari percorreram cerca de 30 quilômetros nos últimos dois dias em busca à psicóloga Érika Rodrigues, de 38 anos, vítima da enchente e que está desaparecida há uma semana, após ser arrastada com o veículo para dentro do Córrego Piçarrão, no bairro Jardim Miranda, em Campinas. A corporação de Capivari entrou nas buscas na segunda-feira, mas até o momento não tem nenhuma pista da psicóloga, grávida de três meses. De acordo com o Corpo de Bombeiros de Campinas, a cidade também retomou as buscas na manhã de ontem, com o deslocamento de duas equipes para pontos diferentes.

A força-tarefa na busca pela vítima começou cedo ontem. De acordo com o sargento da corporação de Capivari, Antonio Geraldo Pereira, dois bombeiros percorreram um trecho de aproximadamente 15 quilômetros.

“Os bombeiros agora vão fazer o caminho inverso, sentido Monte Mor, em continuidade nas vasculhas das vegetações nas margens”, explicou. Para Pereira, é impossível a vítima ter sido arrastada para Rafard — município vizinho à Capivari —, pois o rio é interrompido na barragem de Leopoldina. “Não tenho dúvidas de que nos próximos dois dias devemos encontrar a vítima”, garantiu o sargento. “As buscas serão reiniciadas amanhã (hoje) às 6h30”, informou. A corporação de Campinas informou na segunda-feira que as equipes de terra, água e ar, com o auxílio do helicóptero Águia da PM durante três dias consecutivos, percorreram o trecho até o município de Capivari, mas não localizaram a vítima. Ontem, por volta das 17h, entretanto, os bombeiros informaram que através de ordem da corporação da Capital as buscas se reiniciaram por volta das 11h em Campinas, com duas equipes novamente vasculhando o Córrego Piçarrão e o Rio Capivari.

De acordo com o marido da vítima, o analista contábil Willian de Barros, nem mesmo a bolsa com cartões de crédito e demais documentos da psicóloga foram achados. Inclusive o cartão pré-natal. Falta uma semana para ela entrar no quarto mês de gestação. A bolsa da psicóloga é laranja e tem 40 centímetros de largura. A Polícia Civil informou que está investigando o caso. (Gustavo Abdel/AAN)

Ciesp planeja distribuir redutor de vazão de água

O risco de falta de água nos próximos meses, quando há menos chuvas, preocupa o setor industrial de Campinas e região. O Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Regional Campinas, vai fazer uma campanha para reforçar a conscientização sobre o uso racional da água. Seguindo exemplo da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), a Regional irá distribuir redutores de vazão de água para a população.

“Em São Paulo, a Fiesp distribuiu mais de 150 mil redutores em um evento realizado na Avenida Paulista. Vamos realizar a mesma iniciativa aqui em Campinas. Vamos apresentar a proposta durante um encontro na Câmara dos Vereadores, na próxima quinta-feira, em celebração ao Dia Mundial da Água, comemorado no último sábado”, afirmou o diretor-titular do Ciesp Campinas, José Nunes Filho.

Ele disse que ainda não definiu as datas em que ocorrerá a distribuição. “Pretendemos realizar a ação o mais rápido possível. O mais tardar entre abril e maio. O objetivo é mostrar como é importante o uso racional da água. O uso do equipamento reduz em até 50% a vazão da água. Vamos demonstrar para a população como ele deve ser utilizado. Vamos realizar a ação em locais como o Largo do Rosário e a Prefeitura”, disse.

Nunes Filho ressaltou que a situação dos recursos hídricos ainda é crítica e é necessário manter a economia de água. “As chuvas não foram suficientes para encher os reservatórios de água. Ainda existe risco da falta do insumo. Temos que nos conscientizar que a disponibilidade de água não será mais a mesma e que a água é um bem muito precioso”, salientou.

Distribuição

Os redutores de vazão já são disponibilizados em Campinas pela Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa). No entanto, o consumidor precisa ir até um dos pontos 13 postos de atendimento da empresa pública para retirar a peça.

Segundo estudo realizado pela equipe técnica da Sanasa, a instalação dos redutores de pressão nas torneiras pode gerar uma economia no consumo de água de até 20%. Existem quatro tamanhos disponíveis. O equipamento vem com um folheto explicativo e funcionários também foram capacitados para explicar ao morador como instalar o redutor de pressão. No entanto, segundo técnicos da empresa pública, não adianta instalar o redutor e manter as torneiras abertas por mais tempo, o que não dará resultados.

Para colocar o redutor é preciso desligar o registro de água, tirar a torneira da parede e encaixar o acessório. A parte maior deve ser acoplada no cano. Em seguida, é preciso usar uma fita de vedação, que vai evitar que o redutor saia da torneira. Depois, é só encaixar a torneira de volta. Em alguns modelos, o redutor pode ser encaixado na extremidade da torneira. (Adriana Leite/AAN)