Publicado 02 de Março de 2015 - 5h30

Um eucalipto gigante de 80 anos, de mais de uma tonelada e cerca de 20 metros, tombou na manhã de ontem na pista interna de caminhada da Lagoa do Taquaral, em Campinas. A queda aconteceu por volta das 9h30 e o parque estava lotado no momento. Apesar disso, ninguém ficou ferido. Funcionários do Departamento de Parques e Jardins (DPJ) retiraram o tronco cerca de duas horas após a queda. O Conselho Municipal de Meio Ambiente de Campinas (Comdema) oficializa hoje pedido para que a Prefeitura retire com urgência sete eucaliptos que estariam comprometidos ao longo da pista de caminhada.

A árvore que tombou ficava dentro da pista, a aproximadamente 100 metros da área dos pedalinhos. Com um sol forte, o Taquaral estava lotado no momento em que o eucalipto caiu. “Escutei o barulho lá da caravela. Foi assustador. Fomos até o local para ver se não havia ninguém ferido e, graças a Deus, nada aconteceu de grave”, disse o fisioterapeuta Adriano Gusmão, de 39 anos.

Praticamente toda a copa da árvore foi parar dentro da lagoa, ainda dentro da faixa permitida para o tráfego de pedalinhos — que, no momento, estavam todos na água. “É um perigo, pois de repente estamos andando e uma árvore cai na nossa frente. E se uma pessoa está distraída com o fone de ouvido e não percebe o barulho? Ou uma idosa que anda mais devagar?”, indagaram o casal Gabriel Portas e Isabela Malaguti, ambos de 23 anos.

Por volta das 11h30, dois funcionários do DPJ cortavam o tronco do eucalipto para a retirada e desobstrução da passagem. “A árvore caiu do nada. Mas, pela raiz, é possível ver que ela estava podre por dentro”, disse o funcionário Paulo Carriço. A espécie é uma das poucas que têm seus troncos na pista de caminhada.

O presidente do Condema, Carlos Alexandre Silva, passou pelo local momentos antes da queda. “A árvore fica em uma área arenosa e, pela umidade, com o tempo a raiz vai apodrecendo. Toda a água que desce da parte mais alta se concentra na pista e, dessa forma, acumula umidade na pista”, disse Silva.

Segundo o presidente do conselho, existem de sete a oito árvores que também ficam na pista de caminhada, e que podem estar com as raízes comprometidas. “Falta uma caixa de contenção ao longo da lagoa, o que evitaria o assoreamento e a poluição do lago. Amanhã (hoje), vou protocolar pedido no DPJ de corte urgente desses eucaliptos que dividem espaço com a pista. Deveria haver um procedimento mais ágil por parte da Secretaria de Serviços Públicos”, disse.

O secretário de Serviços Públicos, Ernesto Paulella, afirmou, pela assessoria de imprensa, que a árvore estava saudável e não apresentava nenhum problema, mas, mesmo assim, fará uma perícia para avaliar as condições da raiz.

Em dezembro, segundo Paulella, foram feitas podas em 180 árvores no Taquaral, como medida preventiva. Apesar do presidente do Comdema apontar outras árvores em situação semelhante, o secretário disse desconhecer árvores nessas condições. “Fazemos monitoramento constantemente dessas árvores”, garantiu.