Publicado 23 de Março de 2015 - 5h30

Não adiantou o técnico Marcelo Veiga pedir mais tranquilidade, os jogadores falarem em ter atenção e até a diretoria estipular multa por expulsões. Independentemente das medidas tomadas, os cartões continuam sendo um dos principais vilões do Guarani na Série A2.

A indisciplina, que nas duas rodadas anteriores não havia atrapalhado a equipe, voltou a dar as caras na derrota para o Santo André. E rendeu três desfalques para o jogo de quarta-feira, contra o Atlético Sorocaba. O volante Coppetti e o meia Fumagalli, que levaram o terceiro amarelo, e o lateral-direito Watson, expulso já no final da partida, vão cumprir suspensão.

Com esses cartões, o Bugre chegou a 45 advertências no campeonato em 11 rodadas. São 36 amarelos e 9 vermelhos. Para Marcelo Veiga, em alguns casos a imaturidade pesa, como no caso de Watson. “Ali foi inexperiência. Falei no intervalo para ele ter calma e nada de dar carrinho. Mas é a mesma coisa de pedir para ele dar o carrinho”, disse o treinador.

Como o próximo jogo já é daqui a dois dias, o comandante terá pouco tempo para definir os substitutos e ainda terá que aguardar um posicionamento do departamento médico para saber se não terá ainda mais desfalques.

A preocupação é se haverá tempo hábil para a recuperação do volante Éder Silva e do atacante Nunes, que não atuaram em Santo André. Caso Éder não tenha condïções, Veiga terá que escalar Thiago Carpini no meio, deixando o time sem tanta pegada na marcação.

Na lateral-direita, a opção natural é por Raoni. Já no lugar de Fumagalli, o treinador acenou com duas possibilidades: escalar Fernandinho, que volta de suspensão, e manter Thiago Cristian (caso ele não seja punido hoje pelo Tribunal) ou apostar em Vítor Hugo. (Carlos Rodrigues/Da Agência Anhanguera)