Publicado 23 de Março de 2015 - 5h30

Barcelona e Real Madrid entraram no Camp Nou neste domingo para praticamente definir o campeão espanhol da temporada. Com as equipes completas, exceção feita a Busquets, poupado por Luis Enrique, "El Clásico" trouxe todos os ingredientes de um jogo fenomenal, que foi decidido nos detalhes E o time catalão foi mais preciso. Graças às atuações de Messi e Suárez, o Barça bateu o Real por 2 a 1, gols de Mathieu e Suárez, e ampliou a diferença para o grande rival na liderança do Espanhol. Cristiano Ronaldo havia empatado para o time da capital. Após a vitória no 262 clássico espanhol, o Barcelona lidera com 68 pontos, contra 64 do Real, após 28 rodadas.

A partida começou com a pressão costumeira dos catalães, que obrigavam o time de Madri a marcar forte para não ceder espaço. Com o ritmo mais acelerado, o gol do Barcelona não demorou a sair. Em lance de bola parada, aos 19 minutos, Messi cruzou na medida para o zagueiro francês Mathieu antecipar Sergio Ramos e completar de cabeça de forma indefensável para o gol de Casillas O francês marcou seu primeiro gol no Espanhol.

Com a vantagem, o Barcelona imprimiu ainda mais seu toque de bola e o talento de Messi apareceu de forma contundente. Com toques rápidos e dribles desmoralizantes, o argentino comandou as atividades ofensivas dos anfitriões, deixando a defesa do Real Madrid em pânico a todo momento. Em uma jogada de perigo, a bola foi levantada na área do Real, a defesa falhou e Suárez bateu cruzado. O brasileiro Neymar, totalmente livre, colocou nas mãos de Casillas.

Como no futebol algumas leis são impiedosas, aquele que não faz, toma. O Barcelona acabou pagando por não aproveitar suas chances. Aos 32 minutos, após o lance claro perdido por Neymar, Benzema passou para Cristiano Ronaldo, dentro da grande área, que deu um toquinho para tirar de Bravo e deixar tudo igual no placar.

Na volta para a etapa final, o Real tentou imprimir seu ritmo e surpreender o Barça. Quando eles ainda tentavam impor seu jogo, o time da casa reagiu. Aos 11 minutos, em lançamento primoroso de Daniel Alves, Luis Suárez dominou com precisão e com um toquinho tirou Casillas da jogada. Os catalães estavam novamente na frente.

Após o gol de Suárez, a partida, que já estava ríspida, ficou mais pegada ainda. Mascherano recebeu cartão amarelo por entrada em Cristiano Ronaldo. Até os 24 do segundo tempo, o Real já tinha cinco jogadores com cartões amarelos (Cristiano Ronaldo, Modric, Isco, Sergio Ramos e Pepe) e o Barça tinha três (Jordi Alba, Suárez e Mascherano). Ao final da partida, o Barça recebeu mais um, para Daniel Alves.

Atordoado, o Real não conseguia se organizar e o Barcelona, empolgado por sua torcida, encontrava seu melhor futebol e lembrava os áureos tempos de Messi & Cia. (Da Agência Estado)

Luis Enrique adota cautela após a vitória

O técnico Luis Enrique comemorou a vitória de ontem sobre o Real Madrid, mas garantiu que a vantagem de quatro pontos do Barcelona sobre o rival está longe de ser confortável. Para ele, o time precisa de muita atenção nas dez rodadas que restam para manter a liderança.

“É uma vitória bonita por ser contra um eterno rival. É importante para o campeonato, mas em nenhum momento decisiva”, disse o treinador. “Não sou amigo de porcentagens, nem de especulações. Temos dez partidas importantíssimas. Estamos onde queríamos estar, mas precisamos de concentração”.

Em relação ao jogo e a atuação de sua equipe, o treinador do time catalão viu o Barça melhor na etapa final e com chances de até ter ampliado o marcador. “Uma partida de futebol tem diferentes momentos. Nossa estratégia é sempre a mesma, mas ficamos mais atrás no primeiro tempo porque o Real Madrid tinha a bola e chegava perigosamente”, analisou Luis Enrique. “O segundo tempo começou melhor para nós e o 2 a 1 nos deu muita tranquilidade e tivemos uma infinidade de oportunidades”, completou.

Do lado derrotado do clássico, o técnico Carlo Ancelotti considerou que o Real Madrid teve boa atuação até levar o segundo gol. E lamentou sua equipe não ter aproveitado as oportunidades no primeiro tempo.

“Se enfrentaram duas equipes de alto nível. Creio que fomos bem por 60 minutos. Depois do segundo gol, ficou complicado. No primeiro tempo estivemos muito bem, sólidos, mas nos faltou poder de decisão”, disse.

Para o comandante merengue, a queda da equipe na parte final do jogo tem explicação. ‘Creio que não foi um problema físico, mas sim de cabeça. Não jogamos como no início da partida. Os últimos 30 minutos não saíram como no primeiro tempo”.

Rodada

Outros três jogos completaram a rodada ontem. Na briga pela vaga na Liga dos Campeões, o Sevilla derrotou o Villarreal por 2 a 0, fora de casa, e se consolidou na quinta posição, com 55 pontos. Em La Coruña, o Deportivo só empatou com o Espanyol por 0 a 0 e segue na 16 colocação. Já o Real Sociedad venceu o lanterna Córdoba por 3 a 1. (Das agências)

BARCELONA

Bravo; Daniel Alves, Piqué, Mathieu e Alba; Mascherano, Rakitic (Busquets) e Iniesta (Xavi); Messi, Neymar (Rafinha) e Luis Suárez. Técnico: Luis Enrique.