Publicado 02 de Março de 2015 - 5h30

O melhor ataque do Campeonato Paulista viveu uma tarde de pouca inspiração. Após marcar 18 gols em seis jogos, o São Paulo passou em branco e ficou no 0 a 0 com o Rio Claro, ontem, no estádio Dr. Augusto Schmidt Filho.

O resultado, em termos de classificação, não foi tão ruim. O ponto conquistado fez o São Paulo ampliar sua vantagem para o segundo colocado do Grupo A, o Mogi Mirim, para três pontos. Agora o time do técnico Muricy Ramalho soma 17 pontos contra 14 do rival, que perdeu para o Corinthians ontem. O Ituano está em terceiro, com dez.

O São Paulo iniciou o jogo com uma formação bem diferente da habitual. Quatro titulares (Rafael Toloi, Denilson, Paulo Henrique Ganso e Luis Fabiano) foram poupados por Muricy, que também não pôde escalar Dória, vetado com dores no tornozelo direito. Já o lateral-direito Bruno começou no banco.

Com uma equipe menos entrosada em campo, o São Paulo, claro, sofreu para se acertar. O posicionamento defensivo era eficiente, até porque o adversário não tinha interesse em se expor, mas faltava movimentação dos homens de frente.

A equipe de Muricy ficava com a bola no pé quase o tempo todo, mas não conseguia levar perigo ao gol defendido pelo goleiro Richard. Era um domínio territorial sem objetividade.

A melhor (e única) chance nos primeiros 45 minutos foi em uma falta cobrada por Rogério Ceni. A cobrança nasceu de uma boa troca de passes, com Alexandre Pato sendo derrubado na entrada da área por Pitty. A bola passou perto da trave.

O cenário mudou um pouco no segundo tempo. O empate não era um resultado tão bom para o Rio Claro, que optou por se expor. Ao mesmo tempo em que passou a ocupar o campo de ataque com mais frequência, o time da casa concedeu espaço ao São Paulo.

O problema é que faltava inspiração ao time de Muricy. As orientações no intervalo não surtiram efeito e o São Paulo continuava jogando em ritmo lento. A paciência do treinador durou até os 13 minutos.

Sem evolução, o técnico fez duas modificações na tentativa de acelerar o jogo. Alexandre Pato e Centurión, que realmente não estavam em uma tarde inspirada, deixaram o campo para as entradas de Jonathan Cafu e Boschilia, respectivamente.

Em pouco tempo em campo, Cafu fez o que os companheiros não conseguiram e o São Paulo criou uma ótima chance. Aos 28 minutos, o atacante avançou pela direita, driblou o marcador, entrou na área e rolou para Alan Kardec, que chutou colocado para boa defesa de Richard.

O lance perigoso que fez o torcedor se agitar na arquibancada não foi suficiente para animar o time em campo. O São Paulo continuou em ritmo lento. A equipe tricolor continuava de posse de bola, trocando passes. A inspiração passava longe dos pés dos são-paulinos. O resultado foi um 0 a 0 melancólico.

Em resumo, o time de Muricy teve a posse de bola em quase 80% do jogo, e não fez absolutamente nada com ela e mais uma vez, mostra não ter um padrão de jogo. (Da Agência Estado)

Diretoria oficializa contratação de Wesley

O São Paulo confirmou oficialmente ontem Wesley como reforço. O meio-campista encerrou o vínculo com o Palmeiras na sexta-feira e dois dias depois assinou contrato com o clube do Morumbi até dezembro de 2018.

O anúncio da contratação foi feito pelo vice-presidente de futebol do São Paulo, Ataíde Gil Guerreiro, antes da partida com o Rio Claro. "O Wesley chega para fechar o nosso grupo. Ele é um jogador versátil, que teve passagens por clubes importantes e que com certeza será muito útil para qualificar ainda mais o nosso elenco", afirmou o dirigente.

A contratação de Wesley está fechada desde setembro do ano passado, quando o jogador assinou um pré-contrato. O Palmeiras, porém, não liberou o meio-campista antes do final do acordo, o que ocorreu na sexta-feira.

Com isso, o agora são-paulino não pôde ser inscrito no Campeonato Paulista e na Libertadores. Wesley só poderá ser utilizado pelo técnico Muricy Ramalho na segunda fase do Estadual e no mata-mata do torneio continental.

A chegada de Wesley também fez o São Paulo liberar Maicon para acertar com outro clube. A concorrência será grande no setor, onde atualmente Denilson, Souza, Michael Bastos e Paulo Henrique Ganso são os titulares.

Wesley foi campeão do Paulistão e da Copa do Brasil jogando pelo Santos ao lado de Ganso em 2010. Foi contratado pelo Werder Bremen, da Alemanha, mas não conseguiu se firmar e acabou indo para o Palmeiras. (AE)

RIO CLARO

Richard; Vinícius Bovi, Gilberto, Pitty e Renan Luís; Alê, Nando Carandina, Matheus (Patrik) e Guaru (Jeferson Paulista); Paulinho e Rodolfo (Dennis Murillo). Técnico: Buião.

73%

Teve o São Paulo no primeiro tempo do confronto com o Rio Claro, ontem à tarde