Publicado 26 de Março de 2015 - 5h00

Por Milene Moreto

Milene Moreto - ig

AAN

Milene Moreto - ig

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) foi cauteloso ao comentar a demora na regulamentação do novo indexador que diminuiu as dívidas de estados e municípios. Questionado se seguirá o exemplo da Prefeitura do Rio de Janeiro e entrará na Justiça para conseguir a nova taxa, ele colocou panos quentes na questão. “Medida judicial, por enquanto, não. Vamos aguardar, né. A lei foi aprovada no ano passado. Não vejo nenhuma razão para tomar agora uma medida judicial”.

 

Médio prazo

 

O Estado paga 13% de sua arrecadação anual à União, cerca de R$ 15 bilhões. Segundo Alckmin, para o Estado, a mudança com a lei será sentida somente a médio prazo. Enquanto o tucano demonstra tranquilidade, os prefeitos correm para tentar obrigar a presidente Dilma a regulamentar a lei. Isso porque a dívida compromete boa parte da receita das cidades e diminui consideravelmente a capacidade de investimentos.

 

Rock das aranhas

 

Alckmin esteve em Campinas nesta quarta-feira (25)  para a entrega de um helicóptero Águia à Polícia Militar (PM). A recepção preparada para o tucano no Jardim do Lago estava muito animada. A trilha sonora ajudou a dar o clima de festa. Uma das músicas que tocou nas caixas de som foi o 'Rock das Aranhas', sucesso de Raul Seixas de 1980.

O eterno problema

 

Quem também esteve em Campinas foi o secretário de Estado da Segurança Pública, Alexandre de Moraes. Ele garantiu que a Prefeitura irá ceder um terreno na região do Campo Grande para a instalação da Segunda Seccional. No cronograma traçado por Moraes, a escolha deve ser feita até o final do ano e o projeto deve estar pronto no início de 2016 para licitação.

Os terrenos

 

Segundo Moraes, já houve o acordo com a Prefeitura que verifica a

possibilidade de doação de dois ou três terrenos. “E nós vamos analisar se o espaço é razoável”. 

Salgado

 

Hoje, o aluguel do prédio onde está a Seccional custa R$ 60 mil mensais ao Estado. Criada para abrigar diversas delegacias especializadas, ela funciona somente como ponto de registro de ocorrências e é considerada um “elefante branco” do governo estadual.

Selfie com o Esquilo

 

Empolgados, vereadores fizeram fila para tirar foto com a aeronave modelo Esquilo entregue nesta quarta-feira pelo governador. Um dos soldados ficou apreensivo com a quantidade de políticos próximos ao helicóptero. “Meu medo é eles entrarem e acabarem danificando alguma coisa”.

O trabalho é nosso!

 

Mas a selfie tinha um motivo. Instantes depois de terem tirado a foto com o Esquilo, os vereadores não perderam tempo e postaram nas redes sociais que batalharam pela aeronave. Alguns parlamentares ainda acham que aparecer em fotos ao lado de helicóptero, do prefeito e do governador durante anúncios é batalhar...

 

Mais um capítulo

 

Tinha quem acreditasse que depois da posse de José Pavan Júnior (PSB), a situação da política em Paulínia teria capítulos tranquilos. Acontece que por lá a história nunca será contada dessa forma. Em mais uma jogada na Justiça, Edson Moura Júnior (PMDB) conseguiu liminar para retomar o cargo. Só que, como correm outros processos sobre o mesmo tema no Judiciário, até o julgamento, o peemedebista não volta à sua cadeira.  O grupo já pensa de outra forma. Interlocutores de Moura Júnior dizem que ele volta até a próxima semana.

COLABORARAM CECÍLIA POLYCARPO, MARIA TERESA COSTA E GUSTAVO ABDEL/AAN

Escrito por:

Milene Moreto