Publicado 24 de Março de 2015 - 5h00

Trabalho de cuidadora em Emef: Prefeitura diz que serviço continuará

Carlos Sousa Ramos/30set2014/AAN

Trabalho de cuidadora em Emef: Prefeitura diz que serviço continuará

A Prefeitura de Campinas rescindiu o contrato com a empresa Associação para Valorização de Pessoas com Deficiência (Avape), que gerencia 100 cuidadores de crianças com necessidades especiais em escolas municipais, no programa "Cuidar para Incluir", criado pela Administração.

 

Segundo a Administração, por meio de nota, a Avape não cumpriu o combinado e a Prefeitura está tomando todas as providências para que o serviço de cuidadores não seja interrompido. Em nota, a empresa admitiu que não efetuou o pagamento dos últimos dois meses e lamentou a rescisão do contrato.

O problema ocorria desde o final do ano passado. A empresa atrasou o salário dos funcionários duas vezes este ano. No ano passado, o Correio Popular noticiou o atraso de salário e de vale-transporte, além da empresa não ter fornecido o cartão do plano de saúde a qual têm direito. Na ocasião, a Administração informara que os repasses à Avape estavam dentro da normalidade.

A administração municipal havia oficializado o pedido de rescisão dia 4 de fevereiro e o processo aguardava recurso da Avape. Agora, com a decisão confirmada, a empresa que ficou em 4º lugar na licitação será chamada para assumir o serviço.

A programa atende 60 escolas do município e abrange 139 alunos, que necessitam de cuidados pessoais especiais durante as atividades no período em que estão na escola como locomoção, higiene, alimentação e outras atividades. O serviço foi implantado através das secretarias municipais de Educação e dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida.

A Administração garantiu que o programa não será descontinuado. O contrato vigente era válido até julho deste ano.A distribuição dos cuidadores foi definida pela Prefeitura de Campinas, onde casos de menor complexidade podem ter o cuidador compartilhado, enquanto crianças com uma maior demanda de cuidados com higiene e auxílio na alimentação recebem atendimento exclusivo. Prezamos pelo cuidado das crianças e qualidade do atendimento"

A Associação para Valorização de Pessoas com Deficiência (Avape) admitiu que não foi possível realizar o pagamento dos salários no 5º dia útil de fevereiro e março, além do benefício de transporte do período de 09 de fevereiro a 23 de março aos profissionais que atuam como cuidadores na cidade de Campinas. Seriam diversos fatores, de acordo com a empresa.

Segundo a Avape, houve atrasos de pagamentos de outros contratos e suspensão da linha de crédito com o Banco do Brasil, "inviabilizando qualquer movimentação financeira e comprometendo quase que na totalidade o fluxo de caixa da entidade".

Em relação ao processo de rescisão de contrato com a Prefeitura, a empresa informou que "respeitará a decisão, mas lamenta deixar esse importante trabalho de inclusão social de pessoas com deficiência que, diferente da grande maioria de serviços de cuidadores realizados no Estado de São Paulo, estava apoiado em mais de 30 anos de 'know-how' técnico e de especialidades da Organização" .