Publicado 27 de Março de 2015 - 15h42

Por Raquel Valli

Pit bull recebe atendimento no Centro Médico Veterinário de Campinas devido à união de protetores de animais independentes de Hortolândia

Gislaine Cristina

Pit bull recebe atendimento no Centro Médico Veterinário de Campinas devido à união de protetores de animais independentes de Hortolândia

A pit bull que foi atropelada por volta das 14h30 de quinta-feira (26) em Hortolândia recebeu atendimento veterinário sete horas depois, por volta das 21h. Passa bem e não corre mais risco de morte. Após muito sacrifício, as protetoras de animais que a resgataram conseguiram trazer o animal ao Centro Médico Veterinário de Campinas, hospital 24 horas que dispõe de aparelho para raio X.

 

Agora, na tarde desta sexta-feira (27), já está na casa de uma das protetoras, e aguarda alguém disposto a adotar-lhe, dando-lhe um lar definitivo.

 

 Mesmo sem dinheiro, o grupo não a deixou sem atendimento. Por volta das 16h30 conseguiu colocar a cachorra em uma caixa de transporte e depois organizar-se para começar a pedir ajuda pelo Facebook ('não temos verba pra levar para o veterinário, não temos como tirá la da caixa de transporte, não temos lugar pra levar essa coitada, que se encontra, provavelmente com a perna traseira quebrada e cheia de cortes, os quais estão sangrando muito").

 

Só a conta no hospital ficou em R$ 230 e foi feita em nome de Gisleine Cristina, quem encabeçou o resgate. "Quem quiser e puder ajudar, por favor, entre em contato com a clínica pelo telefone 3241-7765 para depósitos", informa a protetora.

 

Fora isso, o animal ainda precisa de medicamentos e ração especial porque, como foi abandonado na rua, está subnutrido.

Caos

A quantidade de animais abandonados nas ruas de Hortolândia é assustadora, lamenta a fundadora da ONG Amor de Bicho, de Campinas, Ana Carolina Pimenta. 

 

Devido à situação, protetores se uniram-se a fim de fazer um mutirão de castração. Entretanto, apesar de se disponibilizarem a arcar com todos os custos, precisam de um local para fazê-lo. "Chega de procriação... As ruas estão lotadas de animais abandonados, doentes,machucados....", afirma Gislaine.

 

Por meio de assessoria de imprensa, a Prefeitura de Hortolândia informou que irá criar comissão (o que levará cerca de um mês) e que só a partir disso analisará a situação.  

Por causa disso, os protetores fizeram um protesto no Centro da cidade no domingo passado (22) e agendaram duas novas manifestações para este final de semana: uma no sábado (28), em frente às Casas Bahia, a partir das 9h; e outra no domingo, com uma carreata em frente à Prefeitura, a partir das 14h. 

Escrito por:

Raquel Valli