Publicado 26 de Março de 2015 - 19h21

Por Raquel Valli

Pit bull suja de sangue após ser atropelada em Hortolândia por motorista que fugiu

Gislaine Cristina

Pit bull suja de sangue após ser atropelada em Hortolândia por motorista que fugiu

Uma pit bull que foi atropelada por volta das 14h30 desta quinta-feira (26) na Avenida Santana, no Jardim Amanda, em Hortolândia, não recebeu socorro até agora (quatro horas depois). Fraturou a pata e está agonizante devido à dor e à falta de atendimento veterinário. Foi resgatada duas horas depois (16h30) por protetoras independentes, que não têm como prestar-lhe os devidos cuidados médicos.  "Não temos verba pra levar para o veterinário. Não temos lugar pra levar essa coitada. O que conseguimos foi colocá-la dentro de uma caixa de transporte", lamenta Gislaine Cristina, quem denunciou o caso ao Correio.com e enviou o vídeo abaixo à redação. O motorista fugiu sem prestar socorro. 

 

Enviado por Gislaine Cristina

 

"Estou passando pela avenida e me deparo com essa cena: o carro atropelando essa pit e ela rolando rua a fora. Eu estava na mão indo, e ela foi atropelada do outro lado do canteiro central... E, com bastante dificuldade, ela se levantou e iniciou uma caminhada totalmente desnorteada. Foi pra minha mão e perambulava pelo meio da via... Então, fiquei atrás dela segurando os carros, foi quando ela encontrou um cantinho isolado em frente ao restaurante Guindolla. E de lá, nós a resgatamos", conta Gislaine. 

 

A pit bull foi levada para a casa de uma outra protetora, Tatiane, e permanece dentro da caixa esperando ajuda. 

 

De acordo com a moradora Karla Silva, "cachorros abandonados vivem atravessando essa avenida de um lado para o outro e já foram atropelados várias vezes". O desabafo foi postado no Facebook. 

Descaso

 

"A tutela de animais abandonados nas ruas é do Estado, que tem a obrigação de acudí-los ou de ajudar quem esteja resgatando", ensina a advogada Angelica Soares, especialista em proteção animal, presidente da Comissão de Meio Ambiente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Campinas e membro suplente do Conselho Municipal de Meio Ambiente de Campinas (Comdema).

 

Por isso, a reportagem entrou em contato com a prefeitura de Hortolândia, mas a assessoria de imprensa não atende as ligações.

 

Devido à quantidade de cães nas ruas da cidade, protetores fizeram um protesto no domingo (22) pedindo um local para que possam fazer um mutirão de castração. Comprometem-se a levantar todos os recursos necessários e trabalhar voluntariamente, mas precisam de uma área para a realização das cirurgias. 

A Prefeitura, entretanto, informou que irá criar uma comissão (o que levará cerca de 30 dias) e que só a partir daí analisará o assunto. 

 

Em vista disso, dois novos protestos estão agendados para este final de semana: um no sábado (28) no Centro, em frente às Casas Bahia, às 9h; e outro no domingo,com uma carreata em frente à prefeitura, às 14h. 

 

Escrito por:

Raquel Valli