Publicado 24 de Março de 2015 - 21h19

Por Da Agência Anhanguera

Mara afirma que, mesmo antes de sua conversão à igreja evangélica, já era uma pessoa muito devota, tanto regravou Jesus Cristo, do rei Roberto Carlos

Elcio Alves/ AAN

Mara afirma que, mesmo antes de sua conversão à igreja evangélica, já era uma pessoa muito devota, tanto regravou Jesus Cristo, do rei Roberto Carlos

Mara Maravilha passou nesta terça-feira (24) por Campinas para um pocket show na Fnac do Parque D. Pedro Shopping. A apresentação é um “ensaio” para o DVD que a artista preparara em comemoração aos seus 30 anos de carreira.

 

"Estou me dando ao luxo de pensar nesse trabalho como uma gestação. Não está sendo feito com pressa. Mesmo porque estou relembrando um momento que estava guardadinho no fundo das minhas memórias. Vai ter a Mara romântica, a infantil e também a Mara de hoje, uma senhora de 40 e poucos anos”, brincou em entrevista exclusiva ao Correio.com

Mara afirma que, mesmo antes de sua conversão à igreja evangélica, já era uma pessoa muito devota, tanto regravou Jesus Cristo, do rei Roberto Carlos.

 

"Minha vida sempre foi muito intuitiva. Sempre fui devota e minha fé sempre existiu. Mas 18 anos depois da minha conversão, estou tirando alguns trabalhos da gaveta.", disse sobre os clássicos que gravou nos anos 1980, época do Show Maravilha.

Além de preparar a releitura de seu trabalho, Mara diz que está feliz por ver suas músicas regravadas por artistas da atualidade, como Fica Comigo, gravada por César Menotti e Fabiano, Vivendo e Aprendendo, por Thaís Nascimento e Coração na Mão, por Patrícia Marx

TV

Mara, que já teve programas em emissoras como SBT e Record, disse que voltar a ser apresentadora é um sonho, pois, apesar de não gostar muito de assistir televisão, adora estar na gente das câmeras.

 

"Eu planejo voltar, mas o primeiro passo é me cuidar e ficam bem comigo mesma. Quando eu conseguir, vou apresentar algo consistente”, disse. Apesar de ser uma amante da televisão, Mara dá a dica: para as crianças o melhor é a literatura. Ela mesma quando criança lia muito e acha que esse é o melhor caminho para a boa educação das crianças de hoje.

Escrito por:

Da Agência Anhanguera