Publicado 26 de Março de 2015 - 12h27

Por Agência Estado

Mapa do Arranjo Populacional em São Paulo

Reprodução

Mapa do Arranjo Populacional em São Paulo

O arranjo populacional de Piracicaba, formado pelo município e pelas cidades de Charqueada, Rio das Pedras e Saltinho, recebe dos arranjos de Campinas e de Americana/Santa Bárbara D’Oeste e mais pequenos municípios da região cerca de 16 mil pessoas que se deslocam por motivo de trabalho e estudo.

Quase essa mesma quantidade de indivíduos também é a circulação interna entre as quatro cidades do arranjo de Piracicaba, de 16,6 mil pessoas, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que identificou que mais da metade da população brasileira, cerca de 106,8 milhões de pessoas, vive em 294 arranjos populacionais formados por 938 municípios e que se desloca entre eles para trabalho e estudo. A análise divulgada ontem foi realizada com base no Censo de 2010.

O fluxo interno do arranjo de Piracicaba de 16,6 mil pessoas é formado pelo deslocamento de 2.291 pessoas de Charqueada, 8.084 de Piracicaba, 4.579 de Rio das Pedras e 1.662 de Saltinho.

A unidade de Piracicaba do IBGE informou, ainda, que ocorre no município o deslocamento de cidades da região que são menores, que não participam de arranjos populacionais, mas fazem parte dela. Esses indivíduos somam 9.102 pessoas. Nesse caso, elas saem de suas cidades para trabalhar em Piracicaba.

De Águas de São Pedro saem 131 pessoas, Araras (78), Capivari (193), Charqueada (1.802), Iracemápolis (440), Leme (79), Limeira (887), Mombuca (63), Rafard (43), Rio Claro (673), Rio das Pedras (2.757), Saltinho (971), Santa Maria da Serra (58) e São Pedro (927), totalizando as 9.102 pessoas.

O arranjo de Piracicaba também recebe 4.451 pessoas do arranjo de Americana/Santa Bárbara D’Oeste (SBO) e mais 2.449 do arranjo de Campinas. O deslocamento total interno do arranjo de Piracicaba, somado ao das ligações com os arranjos de Campinas e Americana/SBO e os municípios isolados, chega a cerca de 32,5 mil pessoas.

O estudo Arranjos Populacionais e Concentrações Urbanas do Brasil, que foi elaborado pela primeira vez pelo IBGE, esclarece que, juntos, os arranjos formam o que se qualifica como "aglomerações policêntricas ou multiagrupadas", que cumprem múltiplas funções e potencializam a capacidade de produzir bens, prestar serviços, estabelecer parcerias e gerir recursos. Com isso, São Paulo/SP forma o que se chama de Cidade-Região, que engloba 89 municípios e 11 arranjos populacionais, somando 27,4 milhões de habitantes, chamada de 2º Integração do Arranjo populacional de São Paulo.

Movimento

O IBGE identificou ainda - entre os deslocamentos com mais de duas mil pessoas - que há fluxo de 2.789 indivíduos do arranjo de Piracicaba para São Paulo (capital e Grande SP).

Nessa quantidade, definida como ligações entre os arranjos, o de Campinas destaca-se por registrar oito ligações. A maior ocorre com São Paulo, com deslocamento de 25.916 pessoas que deixam a maior cidade do interior para a região da capital. Em seguida, vem a ligação entre Americana/SBO com Campinas, com fluxo diário de 21.419 pessoas. As maiores ligações com São Paulo são da Baixada Santista (37.445) e Jundiaí (35.583).

O IBGE classificou 11 arranjos populacionais como a 2º Integração do Arranjo Populacional de São Paulo/SP, que foi considerada uma cidade-região. Fazem parte dessa 2º integração 89 municípios que têm 416,2 mil habitantes. Os 11 arranjos são o de São Paulo, Campinas, Baixada Santista, São José dos Campos, Sorocaba, Jundiaí, Taubaté/Pindamonhangaba, Americana/SBO, Piracicaba, Itu/Salto, São Roque/Mairinque, além dos municípios isolados.

Um dado da região apontado pelo IBGE na análise foi que o maior fluxo de pessoas para trabalho e estudo foi identificado entre as cidades de Americana e Santa Bárbara d’Oeste, com o deslocamento de 32,5 mil pessoas, das quais 77,5% se davam em função do trabalho.

Economia

O arranjo de Piracicaba repResentava, em 2010, R$ 12,17 bilhões, ou seja, 1,3% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, sendo que a participação dos arranjos na composição do PIB, da cidade-região, revela que o valor adicionado por São Paulo (SP), na agropecuária, é o mais expressivo (20,4%), seguido de Piracicaba (16,1%). O PIB da indústria do arranjo de Piracicaba corresponde a 1,9% do PIB, o do setor de serviços, 1,1% e, os impostos, 1%.

O número de empresas nas quatro cidades do arranjo de Piracicaba era de 15.664, em 2010, e a população, de 416,2 mil habitantes. Viviam nas áreas urbanas 92,4% e, na zona rural, 7,6% desse total de moradores.

Entre as pessoas que residem e trabalham nos municípios do arranjo de Piracicaba estão 232.457 pessoas e 8.308 saem do arranjo para trabalhar em outras cidades.

A renda per capita da população do arranjo de Piracicaba era de R$ 29,24 mil por ano. 

Escrito por:

Agência Estado