Publicado 25 de Março de 2015 - 16h08

Por Agência Estado

Com maior número de citados na lista de investigados por desvios na Petrobras, integrantes da cúpula do PP decidiram adiar a convenção nacional do partido prevista para o próximo dia 9 para daqui a seis meses.

Segundo o Broadcast Político apurou, a decisão, tomada na noite desta terça-feira (24) em reunião da Executiva Nacional, foi influenciada pelo envolvimento de alguns dos principais nomes na Operação Lava Jato. A ideia é manter o partido coeso "neste momento de exposição".

O PP é o que tem o maior número de investigados, com 32, dos quais, três senadores, 18 deputados e 11 ex-deputados. Entre eles está o próprio presidente nacional, senador Ciro Nogueira (PI), que conduziu a reunião de terça-feira (24).

Além do "fator Lava Jato", o adiamento da convenção também atendeu ao pleito da maioria dos diretórios estaduais que vivem a expectativa de mudanças nas regras com uma possível aprovação de projetos da reforma política no Congresso.

Escrito por:

Agência Estado