Publicado 26 de Março de 2015 - 9h55

Por France Press

O líder norte-coreano, Kim Jong-Un, convocou os atletas de seu país a adotarem táticas de guerrilha para intensificar sua disciplina e melhorar os resultados do País no cenário esportivo internacional.

Em uma carta dirigida por ocasião de uma reunião nacional de atletas e dignitários, o líder norte-coreano, muito fã dos esportes, lamenta que o País esteja "atrasado em relação ao resto do mundo" em matéria de ciência e estratégia esportiva.

A carta, que utiliza a retórica militar, explica que o esporte oferece à Coreia do Norte uma oportunidade de ouro para promover o País no exterior.

"Em tempos de paz, só os atletas podem levar para o alto as cores da bandeira da RPDC (República Popular Democrática da Coreia, nome oficial do país) no céu de outros países", afirma o jovem líder na carta, citada pela agência oficial KCNA.

Além disso, promete o apoio público ao mundo esportivo que fará da Coreia do Norte uma potência no setor em alguns anos e explica que os atletas devem se inspirar na luta contra a ocupação japonesa da península da Coreia para melhorar.

"As autoridades esportivas e os treinadores devem aplicar táticas similares à guerrilha antijaponesa em cada acontecimento esportivo para tomar a iniciativa e triunfar", afirma.

A história oficial da Coreia do Norte exalta o passado do avô de Kim Jong-Un, Kim Il-Sung, herói da resistência contra a ocupação japonesa e fundador da RPDC.

Ao contrário de seu vizinho do Norte, a Coreia do Sul supera todas as expectativas no campo esportivo.

A Coreia do Norte participou de nove Jogos Olímpicos desde os de Munique em 1972, mas só conquistou 14 medalhas de ouro. As quatro recebidas em 2012 em Londres no judô e levantamento de peso representam o melhor resultado do País.

Escrito por:

France Press