Publicado 26 de Março de 2015 - 9h43

Por France Press

Companhia aérea Germanwings deu sequência às decolagens nesta quarta-feira, 24 horas após o acidente nos alpes franceses

France Press

Companhia aérea Germanwings deu sequência às decolagens nesta quarta-feira, 24 horas após o acidente nos alpes franceses

O copiloto do avião alemão que caiu nos Alpes franceses estava sozinho na cabine e acionou deliberadamente o mecanismo de descida com a provável intenção de destruir o avião, afirmou o promotor público que coordena a investigação da tragédia aérea que deixou 150 mortos.

"Depois que o comandante saiu da cabine, o copiloto ficou no comando e acionou o mecanismo de descida", afirmou o promotor Brice Robin, em uma entrevista coletiva.

O promotor disse ainda que o copiloto alemão, que se chamava Andreas Lubitz, não estava fichado como terrorista e que nada leva a pensar que o avião tenha sido alvo de um ato terrorista. 

Segundo o promotor público, as vítimas do voo A320 não se deram conta do que estava acontecendo até o último momento.

"As vítimas morreram no ato", afirmou, acrescentando que gritos foram ouvidos nos últimos instantes da tragédia.

Escrito por:

France Press