Publicado 24 de Março de 2015 - 14h56

Por Agência Estado

Jovens em frente à escola em Haltern am See, oeste da Alemanha, de onde algumas das vítimas do acidente de avião da Germanwings veio; dezesseis adolescentes alemães e dois professores em uma viagem de intercâmbio escolar estão entre os 150 mortos no acidente de avião nos Alpes franceses

Sascha Schuermann

Jovens em frente à escola em Haltern am See, oeste da Alemanha, de onde algumas das vítimas do acidente de avião da Germanwings veio; dezesseis adolescentes alemães e dois professores em uma viagem de intercâmbio escolar estão entre os 150 mortos no acidente de avião nos Alpes franceses

"Até este momento, não há sinais de que alguém tenha sobrevivido ao acidente" do Airbus A320 da companhia alemã Germanwings nos Alpes franceses, declarou nesta terça-feira em Seyne-les-Alpes o general David Galtier, da gendarmeria regional.

"Nossa única preocupação é encontrar as primeiras vítimas do acidente", declarou o general à imprensa.

"Infelizmente, por enquanto, não há nenhum sobrevivente", declarou por sua vez o procuradores Marselha, Brice Robin, nesta localidade que se encontra a uma dezena de quilômetros em linha reta do local da cada do avião que transportava 150 pessoas.

A promotoria abriu uma investigação para apurar as causas da tragédia.

"O primeiro problema será a identificação dos corpos", indicou Robin, afirmando que 10 médicos legistas viajaram para o local da queda.

"Uma das dificuldades que temos é o acesso ao local do desastre, particularmente hostil, (que estará) em breve sob a neve e chuva", disse Galtier. "É um lugar muito inacessível que só pode ser alcançado de helicóptero ou a pé", explicou.

Foto: Divulgação/ Germanwings

A queda ocorreu entre as localidades de Barcelonnette e Digne, nos Alpes franceses

A queda ocorreu entre as localidades de Barcelonnette e Digne, nos Alpes franceses

O prefeito de Seyne-les-Alpes, Francis Hermitte, declarou ter organizado um ginásio e uma sala de espera para as famílias, personalidades e imprensa.

"Uma moradora de Seyne-les-Alpes teria ouvido um grande barulho esta manhã às 11h00 horas", segundo o prefeito.

"Muitos alemães vem aqui para praticar voo e vela", disse o prefeito dessa comunidade de cerca de 1.500 habitantes.

O A320 da Germanwings voava entre Barcelona e Dusseldorf quando caiu no maciço de Estrop, cerca de 1.500 metros acima do nível do mar.

Caixa-preta

 

O ministro do Interior da França, Bernard Cazeneuve, anunciou que foi encontrada uma das caixas-pretas. 

"Uma caixa-preta foi encontrada e será encaminhada para os serviços de investigação", declarou Cazeneuve, em Seyne-les-Alpes, a cerca de 10 km em linha reta do local onde o avião caiu, a 1.500 m de altitude.

"Esta caixa-preta será analisada nas próximas horas, e permitirá que a investigação avança", acrescentou.

 

Veja também

Escrito por:

Agência Estado