Publicado 19 de Março de 2015 - 5h00

Por Maria Teresa Costa

Risco é se a seca for mais severa, com 3% da média de afluência, como ocorreu no ano passado

Luís Moura/ AE

Risco é se a seca for mais severa, com 3% da média de afluência, como ocorreu no ano passado

O Ministério Público do Estado de São Paulo informou nesta quarta-feira (18) à Companhia de Saneamento Básico do Estado (Sabesp) que a nova forma de apresentação das informações sobre o nível do Sistema Cantareira não atende à recomendação que solicitava a divulgação dos volumes negativos dos sistemas de abastecimento.

 

Segundo o promotor de Justiça Ricardo Manuel Castro, "a utilização do gráfico reproduzido traz mais dúvidas do que elucidações".

 

Segundo ele, "há evidente erro aritmético, que somente desfavorece a correta prestação de informação à população" sobre um dos exemplos apresentados em que o resultado do cálculo está errado.

 

O Ministério Público quer que a empresa informe que opera com índices negativos.

Caso a Sabesp opte em manter a nova forma de divulgação apresentada hoje, foi solicitada que, para que haja o integral cumprimento à recomendação já expedida, a empresa inclua "que as duas parcelas do volume estratégico, cuja utilização foi autorizada pelos órgãos gestores, equivalem a um índice de 22,64% do volume total autorizado" e que "considerada a veracidade da informação no sentido de que, em 17 de março de 2015, o volume armazenado no Sistema Cantareira é de 150,6 milhões de metros cúbicos, esse volume equivaleria a 11,86% do volume total autorizado e 10,78% do volume útil do Sistema Cantareira", ou seja, um índice negativo.

Para Ricardo Manuel Castro, para que haja transparência e que a informação seja fornecida de forma a atingir a integralmente a população e não prejudicar o andamento de medidas de economia no consumo de água, principalmente quando se descarta a adoção de medidas de rodízio ou racionamento, "os índices de armazenamento do Sistema Cantareira deverão ser divulgados com a exata indicação de que ele opera com índices negativos de armazenamento, ou seja, utilizando reservas estratégicas cuja utilização foi autorizada pelos órgãos gestores em caráter absolutamente excepcional e cujo cômputo não integra o volume útil do sistema Cantareira", solicitou.

 

O promotor pediu que a Sabesp cumpra integralmente a recomendação no prazo de 10 dias. Procurada hoje, a Sabesp não se manifestou.

Escrito por:

Maria Teresa Costa