Publicado 27 de Fevereiro de 2015 - 22h18

Por Jaqueline Harumi Ishikawa

Jaqueline Harumi

Da Agência Anhanguera

[email protected]

Cerca de mil moradores da ocupação Vila Soma, em Sumaré, fizeram a terceira manifestação em uma semana ontem à tarde para conseguirem área regularizada para morar diante da reintegração de posse das áreas invadidas que deve acontecer na próxima terça-feira.

Segundo a Guarda Municipal, a passeata começou por volta das 14h com trajeto pela Avenida da Amizade até o prédio da Prefeitura na Avenida Brasil, no Nova Veneza, onde houve mais uma reunião do grupo de trabalho écnico entre representantes da Prefeitura, União e Estado para viabilizar um conjunto habitacional para as famílias através da modalidade Entidades do Programa Minha Casa Minha Vida. A reunião terminou por volta das 18h, quando as famílias retornaram pacificamente à ocupação pelo mesmo trajeto.

De acordo com o advogado da associação dos moradores, Alexandre Mandl, na oportunidade a construtora apresentou quatro áreas dentro das regiões do Jardim Maria Antônia e Jardim Picerno, que foram as regiões indicadas pela Prefeitura por questão de disponibilidade de equipamentos públicos para atender as 2,5 mil famílias que atualmente moram na Vila Soma. “Na segunda-feira, haverá reunião com os técnicos da CDHU, Caixa, secretarias de Planejamento, Habitação, Obras e Meio Ambiente para sistematização da proposta que será apresentada ao juiz na terça-feira”, afirmou Mandl, que pretende negociar um novo prazo para desocupação voluntária até a conclusão de todo o processo de realocação das famílias.

Em audiência pela 1ª Vara Cível, realizada em 3 de setembro do ano passado, a representante dos moradores aceitou conciliação com os proprietários da área a desocupação voluntária da área dentro de seis meses e ficou definido que haveria o grupo de trabalho, mas que independente do resultado das discussões, os moradores deveriam fazer a desocupação.

Escrito por:

Jaqueline Harumi Ishikawa