Publicado 27 de Fevereiro de 2015 - 14h07

Por Paulo César Dutra Santana

No futebol, quando um elenco é equilibrado tecnicamente, qualquer descuido pode ser fatal. E esta máxima vem se confirmando a cada dia na Ponte Preta. A primeira vítima foi o goleiro Reynaldo, que estreou mal e perdeu espaço para Matheus. Renato Chaves descuiu e viu Tiago Alves assumir a vaga na zaga. Já Biro Biro precisou de apenas 45 minutos para mostrar qualidade a garantir sua vaga entre os 11 escolhidos de Guto Ferreira.

A bola da vez foi o atacante Fábio Santos. Depois de cinco jogos sem marcar, perdeu a vaga para Wellington que estreou semana passada mostrando seu “cartão de visita”. Depois do gol na vitória sobre o São Bernardo, garantiu a camisa de titular. “Sou centroavante e sei que preciso fazer gol. Se não fizer, não vou agradar ao torcedor e ao treinador”, reconhece Wellington.

Vice-artilheiro da segunda divisão no Japão atuando pelo Shonan Bellmare, o jogador tem contrato até o final do Paulista. Por isso, reconhece que tem pouco tempo para mostrar qualidade e permanecer no Majestoso. “Existe a possibilidade de renovação e quero continuar na Ponte. É difícil falar em meta, mas vou me esforçar para corresponder”, disse.

O lateral-esquerdo João Paulo ganhou a chance porque o titular Rodrigo Biro recebeu o terceiro cartão amarelo. Mesmo assim, seu desejo é recuperar a vaga que era sua até a lesão em outubro do ano passado, pela Série B. “A ansiedade é muito grande. Sinto falta de estar dentro de campo, ouvindo a torcida gritando e com a pressão de conquistar a vitória. Isso é bom”, comentou. (PS/AAN)

Escrito por:

Paulo César Dutra Santana