Publicado 27 de Fevereiro de 2015 - 13h57

Por Marita de Siqueira

Marita Siqueira

DA AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

Pablo Lapidusas, pianista argentino radicado atualmente em Lisboa (Portugal) e cuja formação deu-se na Universidade Estadual de Campinas, retorna hoje a cidade do berço acadêmico para celebrar 25 anos de carreira com o lançamento de seu CD Estrangeiro (Selo Kalamata). O show de divulgação desse trabalho, segundo no Brasil (o primeiro foi no Rio de Janeiro, quinta-feira), será na Cia. Sarau, em Barão Geraldo, em Campinas.

O título, Estrangeiro, simboliza a saga feita por Lapidusas na concepção desse disco, que é o segundo álbum do artista. Ele passou por estúdios de Lisboa, Rio de Janeiro, Buenos Aires, Maputo, Los Angeles e Londres – e ainda Moçambique, mas as gravações lá foram excluídas na finalização. “Teoricamente é uma desvantagens. Não era para ser assim. Começou em 2010, em Los Angeles, mas depois de dois dias de gravação, decidimos, eu e o produtor Sthephan Oberhoff, que seria melhor terminar o projeto. De lá eu fui para Paris e Lisboa, onde faria dois concertos, e mostrei o material para uns amigos que me sugeriram continuar as gravações em Lisboa e no Rio de Janeiro. Morava no Rio essa época”, conta.

Foi então firmou-se o conceito de Estrangeiro, o qual havia nascido após o primeiro disco solo, Ouriço, (Delira Música, 2008), porém com cautela sob a ótica do músico. “A princípio, eu achei horrível a ideia de gravar em estúdios diferentes. Mas, pensei: o pianista toca cada dia com um instrumento diferente porque, deferentemente dos outros músicos, não dá para carregar o piano para cima e para baixo. Foi uma experiência interessante e, em cada cidade que eu entrava em estúdio, fazia uma introdução particular”, diz.

O resultado foi um repertório de nove faixas coesas que reúne canções populares, mas com tratamentos que vão do clássico ao jazz e voltam ao pop. Lapidusas rearranjou para seu solo de piano canções conhecidas de Duke Ellington (Caravan), Gilberto Gil (Sítio do Picapau Amarelo), Chico Buarque (Gota D Água e O Futebol), Lennon

Escrito por:

Marita de Siqueira