Publicado 26 de Fevereiro de 2015 - 18h40

Por Carlos Augusto Rodrigues da Silva

Carlos Rodrigues

Da Agência Anhanguera

[email protected]

É unanimidade no Guarani que a queda de rendimento nos últimos jogos resulta de vacilos do próprio time. Após as derrotas para Matonense e Água Santa, o técnico Marcelo Veiga chegou a dizer que o time perdeu para ele mesmo. A situação incomoda, mas serve de alerta para o Bugre não cair nessa armadilha no próximo jogo. Diante do vice-lanterna Catanduvense, os jogadores pregam atenção e doação total para que mais pontos bobos não sejam desperdiçados no meio do caminho.

Como o rival de domingo vive situação difícil na Série A2 e estará atuando fora de casa, a expectativa é por um time retrancado e atuando principalmente no erro do Guarani. Por isso, atenção total é indispensável em um cenário desses. “A gente tem chegado muitas vezes, mas não conclui bem. Aí numa distração acaba perdendo o jogo. Isso não pode acontecer mais”, avisa o zagueiro Rafael Caldeira. “Mas esses resultados serviram de aprendizado para nos concentramos mais lá atrás e, quando tiver a chance, marcar o gol, porque numa bola podemos ser castigados”, completa.

O meia Fumagalli também pede concentração. Para o capitão bugrino, um momento de vacilo pode ser fatal, como foi no jogo diante do Água Santa. “A partida se define em 90 minutos e nos 90 minutos a gente precisa estar ligado. Contra a Matonense fizemos um bom primeiro tempo, não marcamos e acabamos surpreendidos. E contra o Água Santa estava ainda mais fácil e tomamos o gol em uma situação atípica”, observa. “Tem que servir de exemplo. Vamos outra vez enfrentar uma equipe que vai jogar por uma bola e temos que estar focados para que os erros não se repitam”.

Além da concentração, o time também sabe que precisa se igualar ao adversário na superação. Por isso, é importante se doar um pouco mais quando o jogo não está fluindo. “Eu comentei isso no vestiário, de cada um dar 10% a mais. No 11 contra 11, as equipes que enfrentam o Guarani vão dar até o que não tem”, lembra Fumagalli. “Cabe a gente se doar ainda mais porque se nos igualarmos na força e na superação, vamos nos sobressair na parte técnica”, destaca o meia.

Time

O técnico Marcelo Veiga comandou outro treino tático ontem à tarde e manteve a base do time titular do dia anterior. Hoje, o treinador vai orientar um coletivo e confirmar a equipe que enfrenta o Grêmio Catanduvense. Se mantiver a formação que vem treinando, o time terá Neneca; Watson, Cris, Rafael Caldeira e Preto Costa; Éder Silva, Cambará, Malaquias, Fumagalli e Thiago Cristian; Nunes.

Escrito por:

Carlos Augusto Rodrigues da Silva