Publicado 26 de Fevereiro de 2015 - 14h05

Por Alenita de Jesus

Alenita Ramirez

[email protected]

Foto: Cedoc

A vereadora de Campinas Neusa Elisabete Conscetta (PSD), 54 anos, conhecida na cidade como Neusa do São João, foi assaltada por um bandido armado de pistola quando deixava um de seus assessores perto da casa dele, na Avenida Transamazônica, na Vila Padre Manoel da Nóbrega, anteontem à noite. O bandido fugiu com o carro da vítima, um Astra HB, cartões e documentos, além de R$ 1,2 mil, dela e um relógio Orient e uma correntinha de ouro do assessor. O veículo foi achado ontem de manhã, no mesmo bairro perto de um condomínio, trancado. O dinheiro e os acessórios não foram recuperados.

O assalto foi por volta das 23h10 quando as vítimas voltavam da sessão da Câmara. Segundo a vereadora, o assessor Evandro Eduardo de Souza dirigia o carro e parou para descer. No momento em que Neusa assumia a direção, surgiu um homem vestido de preto que rendeu primeiro o assessor, que se preparava para atravessar a via. “Ele apontou a arma para o assessor e me mandou descer do carro. Fiquei sem ação”, contou

A vereadora contou à reportagem que foram cinco minutos de terror. O criminoso, segundo ela, estava surtado, supostamente drogado, e ameaçava atirar nas vítimas. "Senti muito medo, estava diante de uma arma e uma outra vida estava comigo", disse.

As ameaças se agravaram quando o bandido não conseguiu ligar o carro. Segundo Neusa, ao descer do veículo, ela o esqueceu engatado. “O bandido ficou muito nervoso. Ele disse que queria o carro e depois o abandonaria”.

Durante a abordagem, o bandido chegou a exigir que as vítimas levantassem a roupa para mostrar que estavam desarmadas. Neusa foi obrigada a levantar a blusa. “Eu pedi calma e disse: o sangue de Jesus tem poder e ele entrou no carro.

Segundo a vereadora, o assessor carregava uma Bíblia e o bandido chegou a perguntar o que se tratava e no momento que soube ser ser a Bíblia ele só pegou o relógio e a corrente do rapaz, deixando a carteira.

Após a fuga do criminoso, as vítimas foram até a casa do assessor onde pegaram um carro e fizeram uma busca pelo bairro, mas não acharam o veículo da vítima. No momento em que a vereadora registrava boletim de ocorrência na Segunda Delegacia Seccional, o assessor viu o carro passando pela Avenida John Boyd Dunlop. A Polícia Militar (PM) chegou a ir atrás, mas não achou o veículo. O carro foi achado por amigos na manhã de ontem. A chave estava sobre a roda traseira. “Fui vítima de roubo a uns dez anos, mas foi muito rápido e não deu para sentir tanto medo como senti ontem (anteontem)”, disse Neusa.

Em setembro do ano passado, o vereador Carlinhos Camelô (PT) também foi vítima de um assalto quando estava em seu carro a caminho da Câmara.

Na época, o parlamentar contou que foi abordado por dois homens que estavam em uma moto, próximo à Escola Dom Barreto. O passageiro anunciou o assalto e forçou o parlamentar a pular para o outro banco. Camelô afirmou que ficou pouco tempo com o assaltante e foi liberado em seguida. Com o episódio, o petista passou mal e precisou ser levado até o Hospital Mário Gatti.

Escrito por:

Alenita de Jesus