Publicado 25 de Fevereiro de 2015 - 9h01

Por Rogério Verzignasse

Fotos

Giancarlo fez dia 23 fotos dos dois entrevistados (Eduardo e Cristina) no playground em obras da Casa da Criança Vovô Nestor

A entidade me mandou mais de uma dezena de fotos da creche quando ela funcionava, nas décadas de 80 e 90. Eu, por minha conta, pedi para o Alan gravar no adiantamento da revista as duas imagens que parecem mais emblemáticas.

Ação voluntária reconstrói creche do Pq. Itália

A Casa da Criança Vovô Nestor, creche do Parque Itália, em Campinas, nasceu há 40 anos. A entidade sempre fez malabarismos para pagar as contas. Um grupo de voluntários compensava a falta de funcionários e garantia a prestação de serviço de excelência aos pequeninos. Em 2009, no entanto, mergulhada em uma crise financeira sem precedentes, a casa teve de fechar as portas. Foi aí que os velhos amigos da causa se uniram pra valer.

O grupo se mobilizou e saiu à caça, pela cidade toda, de recursos que pudessem bancar reformas e adequações. Doações pontuais em dinheiro ergueram o caixa que estava no vermelho. Jantares, rodadas de pizza eventos reuniram antigos e novos parceiros. Nesta semana, depois de um ano e meio de obras _ que consumiram investimentos da ordem de R$ 150 mil _ a creche retoma as atividades e acolher 150 crianças com idades entre 2 e 6 anos.

O presidente _ o engenheiro civil Eduardo Maluf _ afirma que foram feitas intervenções estruturais importantes nos banheiros, cozinha, no refeitório. As adequações na parte elétrica e hidráulica seguiram critérios técnicos severos, e a casa se credenciou a receber recursos públicos que possam cobrir despesas como o pagamento de salários de 25 funcionários contratados e a compra de material didático. O repasse da Prefeitura, no entanto, cerca de R$ 75 mil mensais, vai cobrir 70% de todos os gastos previstos. A diferença será bancada pelas ações altruístas de sempre: muita gente se empenhando, sem ganhar um tostão”, fala Maluf.

Ação de amigos

A Vovô Nestor, que nunca teve fins lucrativos, nasceu do empenho da comunidade espírita campineira, em 1975. A administração não tinha profissionalismo algum. Era basicamente uma ação entre amigos, que não se preocupavam em registrar receitas ou despesas. Um confiava no outro. Mas como a procura por vagas crescia sem pagar, a casa pediu e recebeu ajuda da Prefeitura para arcar com gastos essenciais. Acontece que o governo municipal, no começo da década passada, regulamentou o setor e passou a exigir prestações de contas, tanto dos recursos recebidos como dos serviços prestados. Enquanto não se adequasse aos critérios rígidos, a entidade deixaria de receber recursos.

Com a suspensão dos repasses, a direção restringiu o atendimento a 50 crianças em 2005. Com o caixa vazio, se optou pela demissão de funcionários. Os colaboradores seguiam bancando os gastos. Mas três anos depois, sem um tostão no caixa, a Vovô Nestor deixou de acolher crianças, e se limitou a funcionar como um centro de convivência de idosos. As salas também eram cedidas para a alfabetização de adultos.

Na última segunda-feira, dia 2, graças ao pool voluntário para as adequações estruturais e administrativas, a casa retomou sua proposta social original, e voltou a receber a criançada. As regras para as matrículas seguem as mesmas do passado. “São acolhidas crianças em situação de vulnerabilidade social, oriundas de lares onde a renda familiar não passa de R$ 1,2 mil mensais. Também há os que chegaram de lares desestruturados”, afirma a diretora pedagógica Cristina Helena Neves Bertuzzi. .

Só não será retomada, por enquanto, a assistência a crianças menores de dois anos. Recém-nascidos ainda dependem de outras adequações do prédio, como a construção do berçário e do lactário. Ninguém na direção arrisca um cronograma de obras, nem faz previsão de despesas.

Do lado de fora

O entusiasmo da retomada do convênio com a Prefeitura não mudou o empenho voluntário. Hoje, cerca de 50 pessoas, de diversas profissões e níveis intelectuais, continuam se entregando a uma ação apaixonante além dos muros da creche. O grupo se reúne nas noites de sábado, se divide em equipes volantes, e percorre a cidade distribuindo comida, roupas e cobertores a moradores de rua.

Caridade pura. Valor essencial da comunidade espírita que fundou _ e se orgulha _ da Vovô Nestor.

SAIBA MAIS

A Casa da Criança Vovô Nestor fica na Rua Pedro Braga, 130, Parque Itália, Campinas.

O telefone é o 3272- 4737 e o endereço eletrônico é o [email protected] gmail.com

Escrito por:

Rogério Verzignasse