Publicado 28 de Fevereiro de 2015 - 10h00

Por France Press

Banksy, cuja identidade continua incerta, começou a pintar nos muros de Londres

Divulgação

Banksy, cuja identidade continua incerta, começou a pintar nos muros de Londres

Banksy, artista de rua mundialmente conhecido, viajou secretamente para a Faixa de Gaza para decorar com seus famosos grafites naïfs e políticos as ruínas do enclave palestino devastado pela última guerra.

O artista, que ficou famoso com suas pinturas anônimas em espaços públicos, publicou em seu site um vídeo que  mostra sua visita à Gaza, onde teria entrado por um túnel subterrâneo e clandestino.

"Este ano, caberá a VOCÊ descobrir um novo destino" clama o vídeo, que ironiza ainda mais longe: "os habitantes se divertem tanto que nunca deixam" Gaza, em referência ao frástico bloqueio israelense ao território.

As pinturas e grafites constituem uma forte crítica à guerra de 2014, que destruiu ou danificou dezenas de milhares de habitações e matou quase 2.200 palestinos, em sua maioria civis. Do lado israelense, 73 pessoas morreram, quase todas soldados.

Entre as obras deixadas pelo grafiteiro, está uma torre de vigia que serve de carrossel para crianças, ou ainda um gatinho gigante pintado em uma parte de muro aos pés do qual há um emaranhado de hastes de metal.

O proprietário do local, um habitante de Beit Hanoun, no norte da Faixa de Gaza, comemorou "esta marca histórica que lembrará para sempre a dor da perda de minha casa".

Este artista britânico, cuja identidade continua incerta, começou a pintar nos muros de Londres, antes de se tornar sucesso internacional.

 

Escrito por:

France Press