Publicado 27 de Fevereiro de 2015 - 11h00

Por Delma Medeiros

Tarcísio Penteado, um dos integrantes do movimento: "A proposta é envolver a população e pressionar o poder público para a criação da sala"

Elcio Alves/ AAN

Tarcísio Penteado, um dos integrantes do movimento: "A proposta é envolver a população e pressionar o poder público para a criação da sala"

MIS Cinema, movimento criado por ex-frequentadores do Cine Topázio — único espaço para filmes alternativos em Campinas — que fechou suas portas em 30 de novembro, promove neste sábado (28) mais um manifesto por uma sala de cinema no MIS (Museu da Imagem e do Som). A mobilização começou pelas redes sociais e promoveu um primeiro manifesto no dia 31 de janeiro. “O primeiro foi uma espécie de lançamento do movimento, que pretende realizar manifestos mensais, sempre no último sábado de cada mês, com atividades variadas, intervenções artísticas e palestras, para pedir a criação de uma sala de cinema no MIS, a Glauber Rocha”, explica Tarcísio Penteado, curador da Galeria Sede, um dos grupos apoiadores do movimento.

“O movimento reúne em torno de 100 pessoas, entre frequentadores, produtores, artistas, apoiadores, políticos e funcionários do museu”, diz Penteado. “A proposta é envolver a população e pressionar o poder público a mobilizar recursos para a criação da sala Glauber Rocha, nas dependências do MIS” , aponta. Neste sábado, a intervenção está a cargo da Galeria Sede e consiste na palestra Palácio Geodésico, com a professora do departamento de Urbanidade da Galeria Sede, Carmo Penteado Camargo, tataraneta do comendador Joaquim Ferreira Penteado, o Barão de Itatiba, fundador do Palácio dos Azulejos, sede do MIS, e uma performance com o artista plástico e performer Ronan Gonçalves, o Rogo.

 

O manifesto está marcado para às 18h, entre as exibições dos filmes do ciclo 'Samurais': às 16h, 'Os 13 Assassinos', de Eiichi Kudo; e às 19h30, 'Os 13 Assassinos' - remake, de Takachi Miike. “A proposta do movimento, além da criação da sala Glauber Rocha, é tornar o MIS efetivamente um espaço para atividades culturais diversas, além de lutar pela reativação da cinemateca do museu”, diz Penteado, lembrando que o MIS tem um acervo de cerca de 300 filmes. “O acervo nem é tão grande, mas reúne filmes icônicos, muito significativos, que contam parte da história de Campinas. São originais de grande relevância que precisam ser devidamente preservados.”

 

Segundo os organizadores do MIS Cinema, no início de 2014 foi noticiado que o MIS receberia R$ 1,3 milhão do Ministério da Cultura para reforma do prédio, que incluiria a conclusão da sala de cinema. “Passado quase um ano nada foi feito. Desta forma, cobramos alguma explicação, até porque tornou-se urgente, dado os últimos acontecimentos (fechamento do Topázio), a conclusão da sala de cinema e as devidas reformas que tornem o MIS adequado para receber um público sequioso por cultura”, diz a mensagem postada na página do grupo MIS Cinema no Facebook. “O objetivo do manifesto é convidar os frequentadores órfãos do Cine Topázio e demais cidadãos da Região Metropolitana de Campinas (RMC) a manifestarem-se a favor da conclusão da sala de cinema no MIS, além de melhores condições de acesso por meio de iluminação adequada, estacionamento, segurança e acessibilidade para as pessoas com deficiência”, complementa a mensagem.

 

AGENDE-SE

 

O quê: manisfesto pela reabertura da sala Glauber Rocha, com palestra e performance

Quando: neste sábado (28), às 18h

Onde: Museu da Imagem e do Som - MIS (Rua Regente Feijó, 859, Centro, fone: 3733-8800)

Quanto: entrada franca

Escrito por:

Delma Medeiros