Publicado 25 de Fevereiro de 2015 - 15h46

Por Agência Estado

Caminhoneiros bloqueiam trânsito na altura do Km 67 da BR-116, em Campina Grande do Sul (PR), sentido São Paulo, ontem: reflexos da greve chegam a Campinas

Franklin de Freitas/ AE

Caminhoneiros bloqueiam trânsito na altura do Km 67 da BR-116, em Campina Grande do Sul (PR), sentido São Paulo, ontem: reflexos da greve chegam a Campinas

A presidente Dilma Rousseff negou nesta quarta-feira (25) que tenha promovido um "tarifaço" nos preços dos combustíveis, cujo recente reajuste desencadeou uma onda de protestos de caminhoneiros pelo País. "O que fizemos foi recompor a Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico). Não elevamos em uma vírgula o preço dos combustíveis", afirmou. Sobre a principal demanda dos caminhoneiros que bloquearam estradas por todo o País, a presidente disse que o governo não tem como baixar o preço do diesel. Dilma Rousseff esteve na manhã de hoje em Feira de Santana, na Bahia.

Aconselhada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a presidente usou Feira de Santana como primeiro destino de uma série de viagens marcadas com o intuito de recuperar sua popularidade, que despencou em meio ao aumento de preços, especialmente dos combustíveis e da energia, e às denúncias de corrupção na Petrobras. A escolha da cidade não foi ao acaso. Nas últimas eleições presidenciais, Dilma obteve 66,71% dos votos válidos de Feira de Santana.

Acompanhada do ex-governador da Bahia e ministro da Defesa, Jaques Wagner, ela foi ovacionada pelo público. Também acompanharam a presidente o governador Rui Costa e o ministro das Cidades, Gilberto Kassab (PSD). Ela aproveitou seu discurso para defender as medidas de contenção de gastos empreendidas por sua equipe econômica. Disse que as correções que vêm sendo feitas são mais do que necessárias.

Veja também

Escrito por:

Agência Estado