Publicado 24 de Fevereiro de 2015 - 20h03

Rodovia Fernão Dias também está com caminhões parados, provocando congestionamento

Eugenio Moraes/ AE

Rodovia Fernão Dias também está com caminhões parados, provocando congestionamento

As manifestações de caminhoneiros contra o aumento dos combustíveis tornaram-se mais intensas na tarde desta terça-feira (24), segundo balanço divulgado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). Motoristas enfrentam dificuldades em 124 pontos de rodovias federais em nove estados. Pela manhã, eram 69 trechos bloqueados.

 

O Estado mais prejudicado é o Rio Grande do Sul, com 46 interdições em 12 BRs. As rodovias mais atingidas com os bloqueios no estado são as BRs 158 e 285. Santa Catarina tem 27 trechos bloqueados. Na BR-262, no quilômetro 645, próximo ao município de São Miguel do Oeste, a interdição começou na quarta-feira (18).

O Paraná tem 20 trechos de seis rodovias bloqueados por caminhoneiros. Na BR-163, no trecho próximo a cidade de Santo Antônio do Sudoeste, a interdição teve início na quinta-feira (19). Em Mato Grosso, são dez rodovias parcialmente interditadas. Em Minas Gerais há nove pontos de bloqueio e em Mato Grosso do Sul, seis.

Na Bahia, quatro trechos das BRs 020, 242 e 116 foram interditadas pela manhã. No Ceará, o trecho da BR-116 no município de Eusébio foi bloqueado durante a tarde.

 

Dilma

 

Caminhoneiros bloqueiam nesta terça-feira, desde as 10h30, a BR-116 Norte em Feira de Santana, na Bahia, onde está prevista para esta quarta-feira (25) a entrega de unidades habitacionais do Minha Casa Minha Vida pela presidente Dilma Rousseff. 

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) negocia a liberação da via. Os caminhoneiros chegaram a colocar fogo em pneus no período da manhã, mas ele foi contido pelos bombeiros menos de uma hora depois. Segundo a Polícia Rodoviária, o acordo inicial era para que a estrada fosse desobstruída às 17h desta terça, mas o protesto continua.

Os caminhoneiros estão obrigando caminhões a aguardarem no acostamento da pista. Mas liberam o tráfego para veículos leves e ônibus. Eles prometem fechar a pista novamente amanhã de manhã. O bloqueio ocorre numa área próxima ao local onde as unidades habitacionais serão entregues pela presidente Dilma.