Publicado 26 de Fevereiro de 2015 - 15h45

Por France Press

O grupo Estado Islâmico difundiu um vídeo nesta quinta-feira em que se pode ver combatentes na cidade de Mossul, no Iraque, destruindo antigas estátuas e ídolos que eles consideram proibidos pela fé muçulmana.

Cinco minutos de imagens mostram alguns insurgentes no museu de Mossul derrubando estátuas de seus pedestais e destruindo-as a marteladas.

Em outra cena, o jihadista destrói um grande touro alado assírio em um sítio arqueológico da cidade, que a cidade que o grupo controla desde o ano passado.

"Muçulmanos, estas estátuas eram ídolos para as pessoas de tempos antigos, que os adoravam invés de adorar Deus", afirma um dos combatentes olhando para a câmera.

"Os chamados assírios, acádios e outros povos tinham deuses para a chuva, para a colheita, para a guerra... e tentavam aproximar-se deles com oferendas. O profeta eliminou e enterrou os ídolos em Meca com suas mãos benditas", prossegue.

Os especialistas acreditam que entre os objetos destruídos havia peças originais, fragmentos reconstruídos e cópias, parte de coleções da arte assíria, com idade de vários séculos antes de Cristo.

Os assírios formam uma antiga comunidade cristã, mas cuja presença na Síria é recente, em função dos massacres que sofreram no Iraque.

Esta comunidade faz parte das muitas que formam o mosaico de cristãos do Oriente e se destaca como sendo os descendentes do antigo império assírio estabelecido na Mesopotâmia, muito antes da introdução do cristianismo e do Islã.

Escrito por:

France Press