Publicado 26 de Fevereiro de 2015 - 17h42

Por Agência Estado

Rodrigo Palacio (à direita), da Inter de Milão, disputa a bola pelo alto com Adam Matthews, do Celtic

France Press

Rodrigo Palacio (à direita), da Inter de Milão, disputa a bola pelo alto com Adam Matthews, do Celtic

A Inter de Milão suou, chegou a ser pressionada no fim da partida, mas fez o suficiente para garantir vaga nas oitavas de final da Liga Europa nesta quinta-feira (26). No jogo de volta diante do Celtic, a equipe italiana tinha uma situação relativamente confortável e se aproveitava dos gols marcados fora de casa para segurar o 0 a 0 até os minutos finais, quando Guarín marcou e selou o triunfo por 1 a 0, para delírio da torcida no Giuseppe Meazza.

A Inter aproveitou o critério de gols fora de casa, já que havia empatado na Escócia por 3 a 3, para atuar de forma mais defensiva. Os italianos souberam se fechar bem, suportaram as investidas do Celtic no fim e foram premiados com um golaço de Guarín em pancada de fora da área, já aos 42 minutos do segundo tempo.

Quem garantiu vaga nas oitavas de final sem maiores dificuldades foi a Fiorentina. Depois de conseguir um bom empate por 1 a 1 em Londres, o time italiano derrotou o Tottenham por 2 a 0 nesta quinta. O primeiro tempo passou em branco e assustou o torcedor, mas Mario Gomez e Mohamed Salah marcaram na etapa final para confirmar a classificação.

Outro que não teve maiores sustos para avançar foi o Sevilla. A equipe havia vencido por 1 a 0 em casa, conseguiu sair na frente nesta quinta diante do Borussia Mönchengladbach, na Alemanha, e garantiu o acesso às oitavas com uma vitória por 3 a 2. Stranzl (contra), Vitolo e Gameiro marcaram para o Sevilla, enquanto Xhaka e Thorgan Hazard fizeram para os donos da casa.

O Villarreal também avançou ao fazer 3 a 1 no Red Bull Salzburg, mesmo atuando na Áustria. Vietto, duas vezes, e Giovani dos Santos marcaram para os espanhóis. Em outro confronto já encerrado, o Ajax despachou o Legia Varsóvia com um triunfo por 3 a 0, em plena capital polonesa.

Escrito por:

Agência Estado