Publicado 12 de Outubro de 2014 - 16h28

Por Alenita de Jesus

Alenita Ramirez

[email protected]

Foto: Itapira News

O surto de uma doença misteriosa está deixando os moradores de Itapira de cabelo em pé. Os primeiros pacientes apareceram no dia 3 deste mês e até a última sexta-feira já somam 18 casos. Todos rolaram no bairro dos Prados e zona rural vizinha (bairro do Machadinho e Macucos) e os sintomas são paralisia facial, dormência da língua, taquicardia, sudorese, dores nas regiões dos ombros, pescoço e da nuca. Os pacientes foram encaminhados para os hospitais municipais e apenas dois deles ficaram internados por dois dias, mas já receberam alta.

A Divisão de Vigilância Epidemiológica da cidade não achou correlação entre água ou alimentos ingeridos pelos pacientes, mas pediu ajuda do Centro de Controle de Intoxicações (CCI) da Unicamp, que descartou hipótese de intoxicação exógena – de origem externa. O surto ficou ainda mais esquisito depois de avaliação clínica, epidemiológica e laboratorial que descartou doença infecciosa.

Com tanto mistério, a Divisão de Vigilância voltou a colher amostras de água das casas dos doentes e também sangue e urina de alguns pacientes e os enviou para o CCI. Por enquanto só o resultado da água que saiu e indicou que não há nada errado com a água.

O surto da doença esquisita ganhou repercussão na rede social da cidade e houve diversas teses sobre o assunto como entre outros, transmissão de algum vírus pelo ar ou intoxicação a partir de alimentação, agrotóxicos ou outras fontes.

Escrito por:

Alenita de Jesus