Publicado 12 de Outubro de 2014 - 8h03

Por Maria Teresa Costa

O Consórcio das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ) está preparando um projeto técnico e jurídico para assessorar os municípios na operação e exploração das cavas de mineração desativadas existentes nas bacias PCJ. A proposta é que as prefeituras possam ter a posse dessas cavas e transformá-las em reservatórios de água de chuva para serem utilizados em situações de emergência no abastecimento. O projeto prevê que esses espaços sejam revitalizados, com implantação de mata ciliar, com construção de taludes onde for necessário para segurar a água e funcionem também como espaços de lazer nas cidades.

Um levantamento feito pelo consórcio encontrou 61 cavas de mineração desativadas nas bacias PCJ. Um estudo está elencando quem são os proprietários desses locais e as condições para que as cidades possam usá-los como reservatórios de água para enfrentamento da crise. Assim que concluído, será disponibilizado para os 43 municípios e 30 empresas associadas à entidade.

Segundo o consórcio, a transposição dessas reservas de água para as estações de tratamento, rios e represas que abastecem os municípios das Bacias PCJ poderá ser feita através de um sistema de bombeamento com a utilização de tubulações temporárias de sistema de engate rápido ou permanentes de diversos materiais (alumínio, aço e Tubos de Polietileno - PEAD).

Na impossibilidade de uso das tubulações para bombeamento das reservas de água, há a alternativa de utilização de caminhões-pipas para que se possam ser feitas as transposições de água. Um cálculo preliminar, considerando-se um consumo de 200 litros de água por habitante por dia, prevê que para uma cidade de 10 mil habitantes serão necessários aproximadamente 240 caminhões-pipas por dia, com a capacidade de 7 mil litros cada unidade.

Escrito por:

Maria Teresa Costa