Publicado 12 de Outubro de 2014 - 7h15

Por Bruno Bacchetti

Você Fiscal foi desenvolvido pelo professor Diego Aranha, da Unicamp

Cedoc/ RAC

Você Fiscal foi desenvolvido pelo professor Diego Aranha, da Unicamp

O aplicativo para celulares “Você Fiscal”, desenvolvido a fim de realizar uma auditoria colaborativa da apuração das eleições presidenciais, recebeu mais de 15 mil fotos dos boletins de urna das eleições do último domingo. O montante equivale a cerca de 3,4% do total de 430 mil urnas eletrônicas espalhadas por todo o País. Os dados estão sendo organizados pela equipe e ainda não há estimativa de quando os resultados serão divulgados, mas o intuito é divulgar antes da votação do segundo turno, no próximo dia 26. O aplicativo para celulares “Você Fiscal” foi desenvolvido por Diego Aranha, professor do Instituto de Computação da Unicamp e especialista em segurança digital e votação eletrônica, em parceria com o empreendedor digital Helder Ribeiro.

O aplicativo para o sistema operacional Android foi financiado de maneira coletiva para fiscalizar a totalização dos votos. O eleitor deveria fazer um registro fotográfico dos boletins de urna, divulgado por todas as seções eleitorais após o final das eleições, e enviar pelo aplicativo. Os resultados serão comparados com os do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). “Essa quantidade de boletins de urna com certeza superou e muito nossa expectativa. Esperava algo muito menor, em torno de mil boletins. Só na minha seção, na Unicamp, encontrei 10 pessoas com o aplicativo. Dois dias antes das eleições o aplicativo tinha 5 mil downloads, e na véspera superou os 20 mil”, contou Aranha.

Ele explica que além das fotos enviadas através do aplicativo, muitos eleitores encaminharam imagens dos boletins de urnas através de email. De acordo com o especialista, os boletins vieram de todos os cantos do País, em especial do Estado de São Paulo. “Estamos tentando organizar, porque muitos foram enviados por email. Tem uma concentração maior em São Paulo porque a frequência de smartphones é maior, além da conscientização política”, explicou.

Diego Aranha afirma que não há pressa para a divulgação da comparação dos dados do boletim de urna com os resultados oficiais do TSE. “A equipe é pequena e estamos pedindo paciência. O objetivo nunca foi competir com o TSE. Tem que ser um trabalho cuidadoso e bem feito”, destacou.

Escrito por:

Bruno Bacchetti