Publicado 16 de Outubro de 2014 - 5h30

O Corinthians deixou escapar uma classificação certa para a semifinal da Copa do Brasil, ontem, no Mineirão. Depois de vencer o Atlético Mineiro por 2 a 0 no jogo de ida das quartas, o Timão abriu 1 a 0 ontem e precisaria levar quatro gols para perder a classificação. E foi exatamente o que aconteceu. A goleada de 4 a 1 dos mineiros eliminou o time paulista e classificou o Galo para enfrentar o Flamengo por vaga na decisão.

Guilherme foi o craque do jogo, fazendo três gols (um deles foi anotado para Luan, erroneamente). Guerrero tentou ajudar Cássio a salvar o Corinthians, mas acabou desviando, com as costas, o cabeceio errado de Edcarlos, que se transformou no gol decisivo aos 42’ do 2 tempo. A vitória garantiu o primeiro triunfo do Atlético sobre o Corinthians em sete mata-matas em competições oficiais.

O jogo

Em desvantagem por conta do placar do jogo em São Paulo, o Atlético resolveu arriscar e escalar Diego Tardelli como titular cinco horas depois de ele voltar ao Brasil de uma longa viagem desde Cingapura. Seus colegas corintianos de Seleção, Elias e Gil, ficaram no banco de reservas — o volante ainda entrou no segundo tempo.

A negociação com a federação peruana foi mais fácil e Guerrero foi dispensado de pegar a Guatemala, na última terça, ficando com o elenco corintiano. E foi do atacante o gol que parecia matar a partida. Aos 4’, ele aproveitou o erro de Jemerson, ganhou do jovem zagueiro na corrida e no corpo e bateu na saída de Victor.

O gol corintiano exigia que o Atlético fizesse quatro para avançar. O cenário fez o jogo ficar aberto, dinâmico. Dos dois lados as chances foram sendo criadas.

O Corinthians sucumbiu pela primeira vez aos 23’, diante do melhor jogador atleticano. Guilherme levantou na área, Luan foi para a bola, não chegou a resvalar nela (por mais que tenha comemorado o gol) e Cássio não conseguiu segurar. Na resposta, Malcom quase fez, mandando rente à trave.

O jogo era lá e cá e qualquer um dos dois times poderia marcar. Acabou sendo o Atlético, quando Guilherme contou com a sorte para vencer Cássio — seu chute bateu em Felipe e enganou o goleiro. Antes do primeiro tempo, Guerrero e Diego Tardelli ainda tiveram chances de fazer.

Luan voltou do intervalo chorando, com dores nas costas, e deu lugar a Maicosuel. Com apenas um minuto, o meia-atacante perdeu chance absurda. Diego Tardelli, desgastado, carregou a bola por todo o campo de ataque e deu para seu companheiro, descansado. Maicosuel ficou cara a cara com Cássio, mas parou no goleiro.

Era só o começo de um segundo tempo movimentado. E os donos da casa chegaram ao terceiro com Guilherme mostrando oportunismo na área, aos 29’. E aos 42’, o gol salvador. Edcarlos completou escanteio de cabeça, a bola bateu em Guerrero, na trave e entrou. No fim, Cássio foi para a área tentar um cabeceio, mas falhou.

Quando acabou o jogo, os atleticanos comemoraram balançando os braços como fez Mano Menezes no segundo gol do Corinthians em São Paulo. (Da Agência Estado)

Jô é afastado do clube mineiro por indisciplina

Sem marcar gols há 22 partidas, sumido dos treinamentos há cinco dias e flagrado constantemente nas baladas, Jô está encostado no Atlético Mineiro e terá o seu contrato encerrado em dezembro. A informação é de seu pai, Dario de Assis, que sempre incentivou a carreira do filho. Dario revelou que Jô está enfrentando desavenças com a mulher, mas também não negou as fotos dele na Escola de Samba Tradição, no Rio. A diretoria do clube mineiro ficou muito decepcionada com o jogador e, após uma conversa franca com o atleta, ficou estipulado que ele permanecerá no Galo até o fim de ano — seu contrato terminaria em maio de 2016 — e depois vai embora.

"Ele está com problemas com a esposa, mas isso não justifica. Não estou passando a mão em sua cabeça ou dizendo que ele está certo e o clube errado. Ele tem 27 anos e tem de ter paciência", disse Dario de Assis, inconformado com a falta de profissionalismo do filho. (AE)