Publicado 13 de Outubro de 2014 - 5h30

Um erro de Nico Rosberg facilitou a vida de Lewis Hamilton para colocar seu nome na história como o primeiro vencedor do GP da Rússia. O inglês obteve sua quarta vitória seguida e abriu 17 pontos de vantagem para o alemão, na prova que selou a conquista do título de construtores para a Mercedes no Mundial de Fórmula 1. Valtteri Bottas, com a Williams, foi o terceiro. Felipe Massa tentou uma estratégia diferente para se recuperar da 18 posição no grid, mas acabou fora da zona de pontuação, em 11.

Logo na segunda curva da prova, Rosberg, que largara em segundo, colocou o carro lado a lado com Hamilton, mas deixou para frear tarde demais e fritou os pneus de forma tão violenta que teve de parar nos boxes, no final da mesma volta, para trocá-los.

“Fiquei um pouco decepcionado comigo. Eu julguei muito mal a freada, não consigo entender como. Foi desnecessário, pois a curva era minha, eu estava por dentro,” explicou Rosberg. “Freei muito tarde e meus pneus ficaram quadrados, tive de trocá-los. Depois disso, meu carro estava incrível e eu consegui fazer todo o restante da corrida com o mesmo jogo de pneus.”

A travada fez com que Rosberg tivesse de trocar os pneus ainda no final da primeira volta. Contudo, como a degradação em Sochi era muito baixa, o alemão conseguiu fazer todo o restante da prova sem precisar de uma nova troca. “Nesse sentido, acho que eu fiz uma grande corrida, pilotando de maneira muito suave para não gastar muito os pneus.”

Mesmo vivendo um momento difícil, sem conseguir vencer desde julho, no GP da Alemanha, o piloto da Mercedes segue acreditando que pode chegar ao título. Cem pontos ainda estão em jogo nas últimas três etapas. “Estou totalmente motivado, vou atacar. Tenho que continuar atacando, como fiz nesse final de semana, mas tenho de fazer melhor.”

Hamilton, por outro lado, só quer saber de manter o bom momento. O inglês perdeu a liderança do campeonato em maio e só a recuperou há duas provas. Com três corridas para o final, ainda há 100 pontos em jogo – 25 por cada vitória nos Estados Unidos e no Brasil e 50 na prova final, em Abu Dhabi. “Tenho ajudado o time e me sinto muito bem. Sigo com fome, muita fome, quero ganhar e estou focado em ganhar. Tivemos um grande desafio, com uma pista nova. Fizemos um trabalho incrível, e foi tudo muito divertido”, concluiu. (Da Agência Total Race)

‘Trânsito’ atrapalha e Massa não marca pontos

Felipe Massa não escondeu a decepção por sair da Rússia sem nenhum ponto. Depois de largar em 18 devido a um problema em seu motor na classificação, o brasileiro arriscou na estratégia e chegou até a disputar um lugar na zona de pontuação, mas permaneceu grande parte da prova ‘preso’ a Sergio Perez, da Force India, e terminou a etapa de Sochi somente na 11 colocação.

O resultado muito abaixo do esperado, ainda mais se comparado ao do companheiro de Williams, Valtteri Bottas, terceiro na prova, incomodou o brasileiro, que culpou o ritmo constante dos rivais, especialmente de Sergio Perez, para justificar sua ausência na zona de pontuação. “Eu vinha em um bom ritmo, até o momento que cheguei atrás de um carro que estava com um pneu bom, usando DRS. Não consegui ultrapassar. Perdi muito tempo atrás desse carro (Perez). Aí, o meu pneu começou a gastar, usei outra parada, mas não deu”, afirmou o brasileiro, que havia feito uma parada nos boxes na primeira volta para tentar ganhar terreno.

“No momento em que saiu o Perez, tinha o Kimi Raikkonen e muitos outros virando rápido, com pneu bom. Não tinha como ultrapassar porque o ritmo era parecido, fiquei a corrida toda atrás do trânsito”, lamentou.

Felipe Massa permaneceu mais de 20 voltas atrás de Sergio Perez. “Não tive chance para tentar colocar o carro do lado, infelizmente não foi possível porque o ritmo era parecido durante a volta. Infelizmente não foi o resultado que esperava, mas estou feliz por Valtteri chegar ao pódio, que é importante para a equipe”, encerrou.

Quinto pódio

O finlandês Valtteri Bottas já está se habituando às cerimônias de premiação da Fórmula 1. Ontem ele subiu ao pódio pela quinta vez na temporada, feito que Felipe Massa alcançou apenas uma vez.

A Williams já anunciou que os dois serão os seus pilotos no campeonato mundial de 2015. (ATR)