Publicado 14 de Outubro de 2014 - 15h08

Moradores, Itu, fazem, protesto, falta, água, fecham, rodovias

Divulgação

Moradores, Itu, fazem, protesto, falta, água, fecham, rodovias

Revoltados com a falta de água na cidade, que enfrenta racionamento desde fevereiro deste ano, cerca de 250 moradores de Itu (SP), na região de Sorocaba, queimaram pneus e interditaram as rodovias SP-75 e SP-79, das 18h às 23h30, desta segunda-feira (13). A interdição das pistas causou congestionamentos de 5 quilômetros nos dois lados das duas rodovias, segundo a Polícia Rodoviária, que acompanhou o protesto realizado na altura do quilômetro 15, assim como a Polícia Militar, mas sem intervenção.

 

Os manifestantes queimaram pneus, galhos de árvore e jogaram entulho na pista para impedir o tráfego. Houve quem atirasse pedras também contra a polícia. Outros quebraram lixeiras e queimaram contêineres antes dos policiais chegaram ao local.

Segunda manifestação

 vEles atearam fogo em materiais e protestaram com faixas e palavras de ordem. Além disso, solicitaram ainda a presença do prefeito no local.

O prefeito Antônio Luiz Carvalho Gomes (PSD), conhecido como Tuíze, não atendeu à reivindicação. De acordo com sua assessoria, a Prefeitura e a empresa Águas de Itu estão fazendo o que podem para garantir o abastecimento, mas a estiagem impede.

Investigação da Câmara

 

Na tarde desta segunda-feira (13), outro grupo de moradores foi até a Câmara de Vereadores pedir a abertura de uma investigação sobre a falta de água com a identificação dos responsáveis e as consequentes punições e a sessão chegou a ser interrompida por dez minutos.

 

Os vereadores não concordaram a com a solicitação dos manifestantes. Para eles, não há necessidade de uma Comissão Parlamentar de Inquérito. “Isto não vai trazer água para as torneiras”, disse João Carlos de Campos Feital (PDT), o Professor Feital.

 

No dia 22 de setembro, manifestantes já tinham estado na Câmara para protestar em razão da falta de água. Na oportunidade, eles atiraram pedras, tomates e ovos e quebraram vidros, além de danificar o prédio. O presidente da Câmara foi atingido por um ovo.

 

 

Veja também