Publicado 12 de Outubro de 2014 - 1h46


Cedoc/ RAC

A Polícia Federal (PF) e a Receita Federal terão de cumprir metas para minimizar o tempo de espera nas filas da imigração e de checagem de bagagens nos aeroportos brasileiros que recebem voos internacionais. Passa a valer, a partir dessa semana, uma portaria que fixa em 16 minutos o tempo médio de espera na fila da PF e em oito minutos na fila da Receita. A portaria, aprovada pela Comissão Nacional de Autoridades Aeroportuárias (Conaero), visa elevar a qualidade dos procedimentos a patamares praticados no Exterior.

 

O tempo que cada passageiro gasta nas filas varia de acordo com o aeroporto, mas um levantamento da Secretaria de Aviação Civil (SAC) mostrou aeroportos que já trabalham dentro da meta, como Viracopos. De acordo com a assessoria de Imprensa da Aeroportos Brasil Viracopos, concessionária responsável pelo terminal campineiro, a última medição divulgada pela SAC foi a do mês de junho, e aponta a média de 16 minutos de fila na PF. Já o trâmite na Receita não registrou tempo de espera. “Viracopos está dentro do tempo estipulado pela nova portaria do governo federal para a Polícia Federal. Eventuais alterações que possam ocorrer com a elevação do tempo médio da fila de imigração são discutidas entre a Polícia Federal e a concessionária dentro das reuniões da Autoridade Aeroportuária”, informa a nota enviada ao Turismo.

Outros aeroportos, como o Galeão, no Rio de Janeiro, operam bem abaixo da meta. No terminal carioca, o tempo é de nove minutos na checagem de passaporte e outros quatro na alfândega. Em Porto Alegre, no aeroporto Salgado Filho, o usuário demora aproximadamente oito minutos na PF e mais seis na Receita. Em Guarulhos, maior terminal em número de passageiros no País, a espera é de aproximadamente 14 minutos na PF e três na Receita. Entre os aeroportos que mais demoram a processar passageiros internacionais estão o Pinto Martins, em Fortaleza; o Presidente Juscelino Kubitschek, em Brasília e o recém-inaugurado Governador Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante, município próximo a Natal. Na capital cearense, o tempo de espera é de 20 minutos, em média na fila da PF, e quatro, na Receita. No Distrito Federal, cujo aeroporto ocupa o terceiro lugar em movimento no Brasil, a espera é de 25 minutos em média, apenas na fila na PF. No terminal natalense, o tempo médio de espera é de 19 minutos apenas na PF. A norma deverá ser cumprida, inclusive durante a alta temporada e feriados prolongados, quando há maior fluxo de passageiros. Apesar de a publicação da norma, a SAC ainda não definiu punições para os terminais que não cumprirem a meta. De acordo com a secretaria, em um primeiro momento, os órgãos terão de se adaptar à nova rotina até que cumpram o tempo estipulado. Após o período, a secretaria deverá definir penalidades.

Teste na Copa

O tempo estipulado pela SAC é fruto do esquema criado pelo governo durante a Copa do Mundo, que agilizou o ingresso de turistas no País nos aeroportos das cidades-sedes. Nesses aeroportos, o tempo médio de espera foi de nove minutos na PF e na alfândega, de quatro minutos. De acordo com o ministro Moreira Franco, a operação mostrou que ambos os órgãos têm condições de cumprir as normas.