Publicado 12 de Outubro de 2014 - 1h59

A jornalista brasileira Keli Campos, que vive em Buenos Aires

Divulgação

A jornalista brasileira Keli Campos, que vive em Buenos Aires

Na edição de 20 de julho, o Turismo publicou a reportagem “A Preferida”, na qual o repórter Diego Almeida percorreu as principais atrações turísticas de Buenos Aires. A capital argentina encanta, sem dúvida, e tem muitos lugares para se ver, desde a movimentada (e abarrotada de brasileiros) rua Florida, o cemitério da Recoleta (e a peregrinação ao túmulo de Evita Perón), ao Obelisco, símbolo internacional da cidade portenha. Mas o destino não se resume a pontos turísticos conhecidos. Mi Buenos Aires Querido, cantada tão apaixonadamente por Carlos Gardel, se esparrama por lugares que passam desapercebidos por quem a está visitando e só quer postar nas redes sociais mais do mesmo. O Turismo conversou com duas brasileiras que foram visitar a cidade, se apaixonaram, e decidiram viver por lá. A dupla elencou lugares pouco conhecidos dos turistas, e que merecem ser descobertos e apreciados.

 

Foto: Divulgação

A jornalista brasileira Keli Campos, que vive em Buenos Aires

A jornalista brasileira Keli Campos, que vive em Buenos Aires

A piracicabana Keli Campos foi a Buenos Aires pela primeira vez há 11 anos. Seis meses depois estava de volta para fazer um curso de espanhol. “Na primeira semana senti que não voltaria mais ao Brasil”, relembra a jornalista, formada em Campinas. Keli conta que se apaixonou pelo que a cidade tem a oferecer ao seu morador, uma mescla do que há de melhor entre as culturas sul-americana e europeia. “Buenos Aires é cosmopolita e multifacetada, cuja arquitetura combina edifícios de estilo europeu, modernos e extensos espaços verdes. É praticamente impossível não se apaixonar”, declara-se à cidade. E se tem uma arquitetura encantadora, cultura e história muito bem representadas em seus diversos museus, teatros e ópera, o destino convida para socializar, algo que o portenho faz muito bem e há muito tempo. “Os argentinos gostam de viver o momento e por isso, é normal ver os cafés e restaurantes sempre lotados, apesar da crise financeira pela qual o país está passando”, completa a jornalista.

 

Foto: Divulgação

A estudante Susy Grison Mansan, que mora em Buenos Aires

A estudante Susy Grison Mansan, que mora em Buenos Aires

A gaúcha Susy Grison Mansan deixou Caxias do Sul há quase três anos para estudar e se encantou pela qualidade de vida portenha, apesar do caos em que a economia do país vizinho mergulhou nos últimos anos. “Moro em Buenos Aires há dois anos e meio. Vim em busca do meu sonho de ser médica, o qual estou reallizando na Universidade de Buenos Aires. Apesar dos problemas econômicos que a Argentina enfrenta, a violência não é grave como no Brasil”, opina a estudante. Como moradora, Susy conta que aproveita ao máximo os espaços ao ar livre e de muito verde que a cidade dispõe. “O que me encanta é a vida, que apesar de corrida, é bem vivida. Moro em Palermo e aproveito ao máximo o bairro. Toda a semana passeio pelo Rosedal com minha cadela e meus amigos”, explica Susy. Saudade mesmo, só da família no Brasil e da comidinha típica. “Como venho de uma região de colonização italiana no Brasil, não tive problemas de me adaptar com a comida, apesar de sentir saudade de um bom feijão”, completa a gaúcha.

Muito além do óbvio

Para conhecer Buenos Aires do ponto de vista de seu habitante, é preciso esticar a estadia e percorrer a cidade novamente, depois de fazer os tradicionais roteiros turísticos. A segunda parte do passeio deve começar pelo Hipódromo Argentino de Palermo. “O local é lindo, e cheio de emoção, mas tem que ser visitado em dias de corrida”, explica Susy. As corridas ocorrem das 14h às 22h. O calendário de atividades e outras informaçoes estão no site do hipódromo: www.palermo.com.ar. Para quem gosta de visitar museus, a cidade realiza o evento anual La Noche de los Museos, um roteiro cultural e histórico pela noite de Buenos Aires. Este ano, o evento acontece no dia 15 de novembro. Na data, diversos museus, zoológicos, universidades e centros culturais ficam abertos gratuitamente à visitação até às 3h da manhã. Fazem parte da programação, apresentações de dança, teatro e de música. O transporte público também é gratuito, mediante a apresentação de um voucher. Informação sobre o evento na página: www.lanochedelosmuseos.gob.ar

Foto: Divulgação

O hipódromo de Buenos Aires

O hipódromo de Buenos Aires

Um passeio já conhecido dos brasileiros, mas que nem sempre entra no roteiro de quem fica em Buenos Aires poucos dias, é pelo Delta do Rio Paraná. Para conhecer o delta é preciso ir até Tigre, uma charmosa cidade na província de Buenos Aires, onde é possível fazer incríveis passeios de barco. O turista que tiver dias disponíveis, pode passar um final de semana em clubes, hotéis ou em casas na beira do rio, que estão disponíveis para alugar. Em Tigre fica o Puerto de Frutos, um gigante centro de compras a céu aberto. Produtos regionais, artesanato, móveis e decoração estão entre os quase infindáveis itens encontrados no mercado. Tigre também abriga o Parque de la Costa (www.parquedelacosta.com.ar), local de diversão e adrenalina para crianças e adolescentes. Outra atração é o cassino Trilleniun, um dos mais tradicionais do município. A duas quadras do cassino fica a Calle Saenz Peña, que recentemente foi renovada por artistas, fotógrafos e colecionadores. Lugar ideal para passear com calma e apreciar a cada passo. Um dos destaques é a charmosa loja/restaurante Boulevard Saez Peña (www.boulevardsaenzpena.com.ar), onde é possível, além de comer bem, comprar antiguidades e peças de decoração. Um lugar pitoresco para visitar em Tigre é o Museu del Mate (http://elmuseodelmate.com.ar), local que conta a história da bebida preferida dos argentinos. O melhor da visita é justamente o final, quando é oferecida uma aula sobre como transformar erva e água quente no melhor mate do mundo.

 

Foto: Divulgação

Parque de la Costa, em Tigre

Parque de la Costa, em Tigre

 

 

 

História, arte e sabores

Buenos Aires é uma das cidades com o maior número de museus no mundo. Tamanha é a variedade, que é possível visitar diferentes espaços culturais a cada nova viagem ao destino. Entre os museus que não estão entre os top five dos brasileiros, mas que devem ser visitados, está o Museo Nacional de Arte Decorativo (www.mnad.org/index.php?subP=café). O espaço funciona no Palácio Errázuriz. A mansão em estilo Luis XVI — considerada uma das mais elegantes do país — abriga a coleção de arte de seus antigos proprietários, o diplomata chileno Matías Errázuriz e sua mulher.  Quem aproveita viagens para colecionar antiguidades, deve visitar o Mercado de las Pulgas (www.elmercadodepulgas.com.ar). O mercado é um lugar pitoresco, onde é possível encontrar todo tipo de antiguidade. Entre vários estandes, quase oculto, está o ateliê de Giannini, um pintor adorado pelos decoradores argentinos. Seus quadros têm cores vibrantes e são vendidos para mais de 50 países. O Museo Evita, dedicado à Eva Perón (www.museoevita.org), localizado em um antigo e pequeno hotel, foi inaugurado exatamente cinquenta anos depois da precoce morte da mítica ex-primeira dama argentina. Conta com treze salas de exposição permanente onde o visitante pode conhecer a história de Evita. Vale a pena conhecer também o restaurante que funciona no mesmo lugar, e que oferece um menu bem portenho.

 

Foto: Divulgação

Quadro do pintor argentino Giannini

Quadro do pintor argentino Giannini

O Palacio de las Aguas Corrientes (www.aysa.com.ar/index.php?id_seccion=489) é um dos edifícios mais exuberantes de Buenos Aires. Embora pareça um palácio, foi construído como parte de um plano sanitário para a cidade. Apesar de sua fachada ser mais conhecida, no interior funciona o Museu da Água e da História Sanitária, onde é possível conhecer um pouco mais sobre a história desse monumento. Uma das edificações que mais representa o espírito modernista de Buenos Aires é o Planetário Galileo Galilei (www.planetario.gov.ar). Construído em Palermo, no Parque Três de Febrero, seu projeto arquitetônico, que mais lembra um disco voador pousado, na verdade, teve como inspiração o planeta Saturno. À noite, completamente iluminado, a imagem do museu se transforma em uma espaçonave prestes a decolar. No site do planetário estão os horários de funcionamento, programação, preço, entre outros serviços.

 

Foto: Divulgação

Palacio de las Aguas, Buenos Aires

Palacio de las Aguas, Buenos Aires

Comer bem e bebericar

Tão rica e diversa quanto a cultura argentina é a gastronomia. Visitar Buenos Aires é também passear por distintos sabores. Dos tradicionais cafés e suas medias lunas, à moderna e americanizada fast food, a cidade é para quem gosta de comer bem, independente da nacionalidade. Entre a diversidade culinária destacam-se: O Burguer Joint (www.facebook.com/burguerjointpalermo). O restaurante, com pegada norte-americana, fica a duas quadras da Plaza Serrano. É um ótimo lugar para matar a fome com hambúrgueres. Outro restaurante no mesmo estilo é o Tucson (www.tucsonrestaurante.com.ar), que serve, e muito bem, as tradicionais ribs, e logo na entrada. Quem gosta de massas deve ir ao Tratoria del Gulio (www.giuliotrattoria.com.ar). O local pequeno e charmoso serve comida caseira feita pelas mãos do dono, que é italiano. As sobremesas também são típicas da Itália, e a carta de vinhos é excelente. É conveniente fazer reservas antecipadas.

Já o o Santo Pizzeria (www.santo.restorando.com.ar) é especialista em pizza e também serve as tradicionais e deliciosas empanadas argentinas. Se o turista deseja provar a verdadeira cerveja argentina, deve visitar uma das unidades da Cerveza Antares (www.cervezaantares.com). A marca é local e a produção é artesanal. O Frank´s (www.franks-bar.com), em Palermo Hollywood, já foi considerado um dos melhores da América Latina. Apesar de não figurar mais nessa lista, ainda é um lugar que deve ser visitado. Temático, o Frank´s é daquele tipo de bar que não é encontrado facilmente, pois na fachada não há nenhuma informação sobre o que acontece lá dentro. Um “gangster” vigia a discreta fachada e a entrada só é possível com uma senha secreta. Ao passar pela porta, a atmosfera do bar leva à época da lei seca nos Estados Unidos. Paredes aveludadas, lustres de cristal e sofás vintage fazem parte da decoração do local, que associada aos seus famosos drinques, torna o Frank ´s um dos lugares mais procurados em Buenos Aires.

Foto: Divulgação

O bar Frank´s, temática anos 20 e gangsters

O bar Frank´s, temática anos 20 e gangsters

O Milion (www.milion.com.ar/milion) é um resto-bar que funciona em uma mansão de estilo francês, de 3 andares, em pleno Barrio Norte. Possui um jardim incrível, que permite esquecer por um momento o caos exterior e curtir a noite portenha. Milion é, sem dúvida, um dos lugares mais badalados da cidade. Amantes do café devem visitar o Último Beso (Nicaragua 4880). Considerado um dos cafés mais charmosos de Buenos Aires, a casa, que fica em Palermo Soho, foi inspirada no filme italiano que leva o mesmo nome, e chama a atenção por sua decoração marcada por um estilo shabby chic. No mesmo lugar funciona uma butique de roupas e objetos de decoração.

 

E se o desejo é o de conhecer as famosas livrarias da cidade, uma das mais charmosas é a Eterna Cadencia (www.eternacadencia.com), onde encontram-se diversos títulos que não são vendidos nas livrarias comerciais. Do lado de fora, a Eterna Cadencia parece uma típica casa do bairro de Palermo, mas na verdade é uma espécie de centro cultural, com restaurante e cafeteria. Ali funciona o Croque Madame, café-restaurante que, além de contar com menu de comidinhas deliciosas, tem vista para a mansão.

Dizem que Buenos Aires lembra muito Paris, e alguns detalhes ficam mais evidentes em La Isla - Recoleta (zona delimitada pelas avenidas Del Libertador, Las Heras e pelas ruas Agote e Agüero). Sem dúvida, um dos lugares mais “parisienses” da cidade. La isla, como é chamada pelos portenhos, foi desenhada pelo urbanista francês Joseph Bouvard, diretor de obras públicas de Paris. Suas ruas terminam em escadas decoradas, que a transformam em um verdadeiro reduto francês. Na mesma zona está o localizado o edifício da Biblioteca Nacional e o Parque Mitre.

 

Foto: Divulgação

Coreto em parque na cidade de Tigre

Coreto em parque na cidade de Tigre

Por fim, a novidade portenha é Los Octubres (http://losoctubres.com.ar). Trata-se de um espaço gastronômico e cultural ainda pouco conhecido. Além do restaurante, abriga uma livraria especializada em história argentina e uma loja temática com forte presença da iconografia de Evita e Perón. É possível encontrar objetos de desenho, indumentária e réplicas de joias usadas por Evita. Uma parada obrigatória para os que querem conhecer um pouco mais sobre a história do país.