Publicado 13 de Outubro de 2014 - 11h26

Os piercings orais dificultam a mastigação e a dicção, diz especialista

Del Rodrigues

Os piercings orais dificultam a mastigação e a dicção, diz especialista

O ortodontista e vice presidente da Uniodonto de São Paulo, Eduardo Ulian, alerta para o uso do piercing que, em caso mais severo, pode evoluir para um câncer bucal. Outra preocupação dos profissionais da área é com o uso irregular de aparelhos,que pode causar a perda dos dentes. Facilmente encontrados pelas ruas das grandes cidades e pela internet, os elásticos coloridos têm se tornado uma dor de cabeça para os profissionais da área da saúde.

O Crosp (Conselho Regional de Odontologia de São Paulo) tenta coibir o comércio ilegal, com várias blitze e apreensões do falso material.

Piercing

 

Piercing na cavidade bucal é qualquer tipo de piercing que pode ser colocado na língua, nos lábios ou nas bochechas. Os piercings colocados na orelha e nariz não envolvem riscos tão grandes quanto aqueles colocados na boca.

 

Segundo Ulian, são inúmeros os riscos e efeitos colaterais que um piercing oral oferece. São eles:

 

- infecção: a boca tem milhões de bactérias que podem causar uma infecção após a colocação do piercing;

 

- sangramento prolongado: caso um vaso seja perfurado ou rompido durante a colocação;

 

- dor e inchaço: são sintomas comuns após a instalação do piercing. Em casos mais sérios, se a língua inchar demais, pode fechar a passagem de ar e dificultar a respiração;

 

- dentes quebrados: este tipo de trauma é comum para quem usa piercing oral;

 

- ferimentos na bochecha, gengiva e língua: traumas constantes podem evoluir para lesões cancerígenas;

 

- doenças transmissíveis pelo sangue: o piercing oral foi identificado pelo Instituto Nacional de Saúde como possível foco de transmissão de hepatite B, C e D;

 

- endocardite: a ferida causada pela perfuração dá às bactérias da boca, principalmente a streptococus mutans, a oportunidade de entrar na corrente sanguínea e atingir a musculatura cardíaca;

 

- interferência com as funções bucais: os piercings orais dificultam a mastigação e a dicção.

 

O profissional afirma que, devido aos riscos envolvidos, mesmo depois que a ferida cicatrize, a melhor coisa é não fazer um piercing oral.

Riscos

 

Sobre o uso de aparelho ortodôntico irregular, Eduardo Ulian diz que os jovens que aderem a essa moda para "dar destaque ao sorriso", não imaginam o risco que estão correndo.

Ele destaca que a aplicação e o uso de aparelhos ortodônticos sem acompanhamento de um ortodontista podem causar problemas de mastigação, reação alérgica, perda óssea, movimentos dentários desnecessários e até mesmo a perda dos dentes.

 

“Os danos podem ser irreversíveis ou de difícil reparação. Os jovens que colocam os acessórios por conta própria, ou que mantêm o aparelho após um tratamento para personalizá-lo, correm o risco de desenvolver cáries e comprometer a saúde bucal.

 

Só quem pode indicar o uso de aparelho ortodôntico é o dentista”, afirma.