Publicado 14 de Outubro de 2014 - 22h47

Por France Press

Kesha afirmou que as agressões de seu produtor Dr. Luke lhe causaram bulimia nervosa

Divulgação

Kesha afirmou que as agressões de seu produtor Dr. Luke lhe causaram bulimia nervosa

A cantora americana Kesha, de 27 anos, denunciou seu produtor Dr. Luke por abuso sexual, físico e verbal, assim como por assédio e estresse emocional, sofridos nos últimos dez anos.

A artista acusou o produtor de "forçá-la a usar drogas e álcool para se aproveitar dela sexualmente, enquanto estava drogada", revela a denúncia apresentada em um tribunal de Los Angeles, nesta terça-feira.

O nome de batismo de Dr. Luke é Lukasz Sebastián Gottwald.

Kesha conta que, uma vez, acordou "nua" na cama de Dr. Luke, "sem capacidade para lembrar como havia chegado ali", depois que ele a obrigara a tomar algumas pastilhas. Em outra ocasião, Dr. Luke forçou a jovem a se drogar antes de embarcar em um avião.

Conhecida pelo hit "Tik Tok", Kesha afirmou que as agressões lhe causaram bulimia nervosa. Em janeiro de 2014, completou a artista, ela ficou dois meses internada em um centro de reabilitação depois que os médicos lhe disseram que sua vida "corria perigo".

Segundo ela, o produtor a afastou de sua família e amigos, quando foi viver em Los Angeles e chegou a ameaçar, repetidamente, "destruir" sua carreira, se ela revelasse esses "incidentes".

"O objetivo dessa denúncia é que Kesha retome o controle de sua carreira musical e sua liberdade pessoal, após dez anos sendo vítima de abusos psicológicos, manipulação e abusos sexuais por parte de Dr. Luke", afirmou em um comunicado o advogado da cantora, Mark Geragos, que também defendeu Michael Jackson.

Kesha exige uma indenização e o fim de qualquer vínculo de trabalho com ele para poder assinar novos contratos com outros agentes e selos fonográficos.

Poucas horas depois, Dr. Luke denunciou Kesha por calúnia, afirmando que suas acusações são uma armação para romper seu contrato. Ele já trabalhou com Kate Perry, Rihanna e Shakira, entre outras.

"Kesha e sua mãe Pebe usaram essas difamações com o objetivo de forçar Gottwald para liberar Kesha de sua exclusividade contratual", rebate a denúncia do produtor obtida pela AFP.

A denúncia aponta que ambas reconheceram que essas acusações "são falsas".

O produtor alega ter "descoberto" a cantora e diz que, em 2013, ela assinou um acordo com a empresa de representação Vector, que a pediu que rompesse seu contrato.

Escrito por:

France Press