Publicado 12 de Outubro de 2014 - 14h32

Por France Press

Um trabalhador do setor de saúde do Texas que integrou a equipe de atendimento de um paciente liberiano que morreu vítima do Ebola foi infectado com o vírus, apesar de ter utilizado equipamento de proteção, informaram fontes do departamento de saúde.

O funcionário, que não teve a identidade divulgada pelo Hospital Presbiteriano de Dallas, deu resultado positivo para Ebola no primeiro exame e está internado no hospital, em isolamento e em condição estável.

O diretor clínico do departamento de Recursos de Saúde do Texas, Dan Varga, afirmou que os funcionários estão muito preocupados porque temem que a vítima pode ter contraído o vírus apesar de ter seguido todos os protocolos de segurança.

O juiz do condado de Dalas, Clay Jenkins, tentou acalmar a população e lembrou que não é possível contrair o Ebola caminhando ao lado de alguém na rua ou pelo contato com alguém que não apresenta os sintomas.

"A notícia não deve provocar pânico", disse.

O liberiano Thomas Duncan foi o primeiro caso de Ebola diagnosticado nos Estados Unidos. Ele viajou da Libéria para os Estados Unidos em 20 de setembro e apresentou os sintomas da doença quatro dias depois.

Em um primeiro momento, as autoridades calcularam que Duncan entrou em contato com quase 100 pessoas antes de receber tratamento, mas funcionários do departamento de Saúde reduziram o número a 48 após o diagnóstico.

O trabalhador do setor de saúde infectado não estava no grupo considerado de alto risco, segundo Varga, mas recebeu a recomendação de medir a temperatura duas vezes ao dia e informar sobre qualquer sinal de febre.

Este é o segundo caso de Ebola diagnosticado nos Estados Unidos, em um momento no qual a epidemia afeta a África ocidental, onde provocou mais de 4.000 mortes desde o início do ano.

 

Veja também

Escrito por:

France Press