Publicado 14 de Outubro de 2014 - 22h30

Por Inaê Miranda

protesto, falta d'água, Campinas, manifestação, Jardim Santo Antônio, DICs

Edu Fortes/AAN

protesto, falta d'água, Campinas, manifestação, Jardim Santo Antônio, DICs

Moradores do Jardim Santo Antônio, na região dos DICs, em Campinas, voltaram a protestar esta noite contra a falta de água. Por volta das 19h30, eles interditaram as duas faixas da Rua Armando Alves de Oliveira e queimaram pneus.

 

A manifestação foi controlada, por volta das 20h30, após a chegada da Polícia Militar e do Batalhão de Ações Especiais (Baep), do Corpo de Bombeiros e de Agentes da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec). Os moradores ameaçam fazer um novo protesto nesta quarta-feira (15) caso a situação não mude.

Os moradores reclamam da falta de água desde sexta-feira (10). No período da tarde, eles já haviam realizado um protesto e fecharam a avenida Celso Delledonni, uma das principais que dá acesso ao bairro, com uma espécie de barricada.

 

Os protestantes também queimaram pneus. "Estamos há quatro dias sem água. Estão vendendo galão aqui a R$30. A creche não está aceitando as crianças porque não tem água. Além do problema da água, ainda corremos o risco de ficar sem emprego por não ter onde deixar nossos filhos" , afirmou a operadora de caixa, Daiane Regina de Souza, de 32 anos.

O vigilante Lourival Alves, de 52 anos, também protestou contra a falta de água. "Se não tem água na cidade, a Prefeitura tem que dar um jeito de importar de outro lugar. Desde sexta-feira estamos sem um pingo de água na torneira. Hoje recebemos um pouco do caminhão-pipa porque ele veio ao bairro e mesmo assim só subiu aqui depois de muita cobrança" , relatou. "No Centro, os ricos todos tem água, agora nós da favela não temos. Isso é revoltante" , afirmou uma moradora que não quis se identificar.

 

Mais cedo

 

protesto, falta d'água, Campinas, manifestação, Jardim Santo Antônio, DICsSem água desde sexta-feira e com a temperatura chegando a 37ºC em Campinas, os moradores do bairro Jardim Santos Antônio, na região dos DICs, se revoltaram nesta terça-feira e fizeram um protesto contra a situação que estão vivendo.

 

Eles fecharam a avenida Celso Delledonni, uma das principais que dá acesso ao bairro, durante a tarde, com uma espécie de barricada.

 

Os manifestantes também queimaram pneus. A Guarda Municipal e a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (EMDEC) enviaram viaturas ao local. Por volta de 16h, o protesto foi contido. Um dos manifestantes desacatou um policial militar e foi encaminhado para a Segunda Delegacia Seccional. Ele foi liberado em seguida.

Os moradores do bairro se exaltaram com uma vizinha durante o protesto, que ainda tinha água em casa. O Correio Popular presenciou a cena. Os manifestantes acuaram a mulher em casa, com gritos para que ela parasse de esbanjar a água que ninguém tinha. Uma das manifestantes chegou a pegar um bloco de terra para jogar nela, mas foi contida pelos outros protestantes. "A água é minha, eu que pago" , se defendia a vizinha. A reportagem não conseguiu contato com a vizinha após o ocorrido.

"Estamos sem água desde sexta-feira, pedimos água para quem mora aqui na avenida e quem tinha, mas ninguém cedeu. Tenho quatro filhos e eles acordam e dormem com sede. A gente nada e algumas pessoas esbanjando" , contou a ajudante de cozinha Márcia Regina Leandro, ajudante de cozinha. Segundo ela, uma vizinha chegou a fornecer um pouco de água, da caixa d´água, mas já acabou.

"Necessito de água, tenho diabetes. É uma esculhambação. Tenho ido em buscar em mina", afirmou o aposentado Cícero Manuel de Sousa, de 74 anos. A Sociedade de Abastecimento de Água e Esgoto (Sanasa) de Campinas informou, por meio de assessoria de imprensa, que cerca de 20% da população continua sem água na cidade. Os bairros mais afetados são o Jardim Santo Antônio e os DICs, que são abastecidos pelo Rio Capivari.

Escrito por:

Inaê Miranda