Publicado 15 de Outubro de 2014 - 9h58

Por Agência Estado

O peruano Paolo Guerrero comemora seu gol no Itaquerão, o primeiro do Corinthians contra o Atlético-MG

Agência Corinthians

O peruano Paolo Guerrero comemora seu gol no Itaquerão, o primeiro do Corinthians contra o Atlético-MG

Praticamente dois passos e meio separam o Corinthians de dois grandes objetivos. Passar pelo Atlético Mineiro, nesta quarta-feira (15), às 22h, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, deixará a equipe na semifinal da Copa do Brasil e ainda com chances mais palpáveis de realizar a missão de conquistar pelo menos um título na temporada, além de se garantir na próxima edição da Copa Libertadores.

O time já adiantou grande parte da tarefa nestas quartas de final. No primeiro jogo, ganhou por 2 a 0 no estádio Itaquerão, em São Paulo, e pode até mesmo perder por um gol de diferença no Mineirão que ainda assim estará classificado. Fora isso, conta com mais condições favoráveis para voltar de Belo Horizonte com a presença garantida na semifinal.

A equipe contará com o retorno do principal atacante. Guerrero pediu dispensa para a seleção do Peru e tem presença confirmada. Já o adversário, que precisa de gols, não deve ter o seu grande destaque. O goleador Diego Tardelli é um possível desfalque por ter jogado nesta terça em Cingapura pela seleção brasileira. O mesmo problema também aflige o Corinthians, que deve contar com o zagueiro Gil e o volante Elias possivelmente para o segundo tempo.

O local do jogo desta quarta também traz mais otimismo ao Corinthians. Em vez do estádio Independência, onde o adversário é praticamente imbatível, o confronto será no Mineirão. “No Independência é complicado jogar. O campo é pequeno e a torcida fica próxima. Agora vamos jogar em um estádio grande e onde o público fica mais afastado do gramado”, comparou o goleiro Cássio.

O técnico Mano Menezes não revelou o time titular e garantiu que a equipe vai jogar com o intuito de marcar um gol como visitante e, com isso, obrigar o adversário a fazer no mínimo quatro. A postura em campo terá como modelo a atuação da semana passada diante do Cruzeiro, pelo Campeonato Brasileiro. “A proposta de jogo e a nossa necessidade é muito parecida com a de quarta passada”, disse.

No Atlético, o técnico Levir Culpi aposta no garoto Carlos, de 19 anos, que tirou a vaga no ataque de André.

Escrito por:

Agência Estado