Publicado 09 de Setembro de 2014 - 19h44

Por Paulo César Dutra Santana

Paulo Santana

Da Agência Anhanguera

[email protected]

O menosprezo custou caro para a Ponte Preta, que perdeu o jogo para o Atlético-GO, por 4 a 3, e deixou escapar a oportunidade de ingressar pela primeira vez no G4 da Série B do Campeonato Brasileiro. O time saiu em desvantagem, mostrou raça para empatar, virar o placar e chegou a abrir dois gols de vantagem, ontem, no Estádio Moisés Lucarelli. Mas, depois que tinha tudo dominado passou a tratar o combate como “jogo ganho” e tomou uma virada incrível tomando três gols no espaço de apenas cinco minutos (37, 41 e 42).

André Luís abriu o placar, Lino fez contra o gol de empate da Ponte e Tiago Alves garantiu a virada no primeiro tepo. Thomás ampliou no começo da etapa final, mas Lino e Josimar (duas vezes) acabaram com a invencibilidade da Macaca no Majestoso.

A Ponte começou mostrando personalidade. Mesmo depois de tomar o gol na primeira descida ao ataque do Dragão, na se abalou. A jogada começou pela direita. Jonas cruzou e André Luís, livre na área, completou de cabeça no canto esquerdo do goleiro Roberto: 1 a 0, aos 9’.

A Macaca foi buscar o empate e não demorou para deixar tudo igual. Roberto lançou da grande área. Rafael Costa deu leve toque de cabeça e abola sobrou para Roni. O atacante cruzou e Lino acabou fazendo gol contra: 1 a 1, aos 20’.

A virada saiu depois de uma falta batida com perfeição por Renato Cajá. Ele colocou na medida para o zagueiro Tiago Alves invadir a área. Entre os adversários, o xerife colocou no fundo do gol sem chances para Márcio: 2 a 1, aos 33’.

Aos 35’, Douglas Tanque perdeu uma excelente oportunidade de ampliar quando escapou livre na boa jogada iniciada por Fernando Bob. Foi muito mal na conclusão. Depois de passar pelo goleiro, chutou de esquerda quando o correto seria tentar com a direita. Lino salvou.

A Macaca começou a etapa final com a mesma determinação e, aos 8’, ampliou a vantagem numa bela jogada pessoal de Thomás. O atacante tirou do zagueiro, puxou para a entrada da área e bateu no canto. O goleiro Márcio reclamou da interferência de Tiago Alves no caminho, mas o juiz confirmou o gol: 3 a 1.

Roberto fez mais um belo lançamento e, por muito pouco, Renato Cajá não marcou um gol de placa. Na tenrtiva por tentou por cima do goleiro, a bola passou raspando o travessão, aos 14’.

Diferente do que a Ponte pensou, o Dragão não estava morto. E descontou, aos 37’, depois do escanteio batido por Jonas pelo lado direito. Lino subiu sem marcação e completou de cabeça: 3 a 2. Roberto só ficou olhando.

O que era perigo se tornou drama aos 41’ quando Juninho escorou cruzamento para Josimar, que completou com um chute do meio da área. O pior aconteceu um minuto depopis quando, em nova falha coletiva pelo lado direito, Josimar pegou a sobra e marcou 4 a 3. Fim da série de quatro jogos de derrota do time goiano.

Escrito por:

Paulo César Dutra Santana