Publicado 08 de Setembro de 2014 - 21h01

Por Jaqueline Harumi Ishikawa

EDITORES: Nomes da motorista e do passageiro sobreviventes são Gabriela Bakalow de Matos e Dennis Alexander Capeli.

Jaqueline Harumi

Da Agência Anhanguera

[email protected]

Três estudantes universitárias morreram e dois ficaram gravemente feridos ontem à tarde após o pneu traseiro direito do Palio em que estavam estourar e o veículo colidir em dois caminhões na altura do km 91 da Rodovia dos Bandeirantes, na região dos DICs, em Campinas. De acordo com o capitão Hugo Araújo Santos, da Polícia Rodoviária, o grupo seguia da Capital sentido interior pela faixa esquerda quando no km 90 a banda de rodagem do pneu teria se soltado – ela foi localizada no canteiro. O estouro provocou o descontrole da direção e uma colisão lateral com um caminhão, o que levou o carro a atravessar o canteiro central na diagonal e atingir lateralmente uma carreta que vinha no sentido oposto.

O acidente aconteceu por volta das 14h45. A motorista G.B.M., 24 anos, e o passageiro D.A.C., 21 anos, foram socorridos ao Pronto Atendimento São José, segundo a Polícia Civil em estado grave. Larissa da Silva Barbosa, 25 anos, Samantha de Araújo Vieira, 19 anos, e Maitê Faria Heredia, 21 anos, morreram na hora. De acordo com a Polícia Rodoviária, Samantha era a única passageira do banco traseiro que estava com cinto de segurança, sendo que Larissa foi projetada para fora do veículo e Maitê para o porta-malas.

Por conta do atendimento médico e remoção do veículo, houve interdição da faixa esquerda sentido Capital por cerca de 30 minutos, o que provocou um congestionamento de 2 km. O local passou por perícia da concessionária AutoBAn e da Polícia Científica, cujos laudos devem ser emitidos em pelo menos 15 dias. Segundo o capitão Santos, é possível afirmar que houve problema de falta de manutenção. “Era um pneu de má qualidade ou de segunda linha porque o pneu de qualidade é feito para suportar alta velocidade. Além disso, um pneu estava careca e todos são de marcas diferentes”, disse.

Para o delegado Filipe Rodrigues de Carvalho, que foi até o local do acidente, há indícios de que o carro trafegava acima da velocidade máxima permitida, mas não dá para afirmar negligência. “Numa situação dessas, a gente precisa responsabilizar. Ao que parece, estavam a mais de 120 km/h, então como o carro estava bem carregado ao estourar o pneu houve maior dificuldade para parar: o canteiro tem mais de 50 metros de largura e o carro foi se arrastando até o outro lado”, explicou a autoridade, que não conseguiu ouvir os depoimentos dos sobreviventes e registrou o acidente como homicídio culposo na direção de veículo automotor para investigação do 6º Distrito Policial.

Segundo a Polícia Civil, as vítimas são estudantes da Unicamp, campus Limeira, e estariam a caminho da cidade onde estudam, já que a motorista é da Capital e os demais ocupantes do veículo de Osasco. Além disso, havia malas e compras no carro, que foi recolhido pela Polícia Rodoviária.

Escrito por:

Jaqueline Harumi Ishikawa