Publicado 08 de Setembro de 2014 - 13h41

Por Paulo César Dutra Santana

O meia Renato Cajá, que já esteve duas vezes em campo, inicia a partida de hoje usando a camisa 10 pela primeira vez neste retorno à Ponte Preta. Adrianinho, que vinha sendo utilizado como titular, ficará como opção no banco de reservas até por conta da maratona de seis mais seis jogos até o final do mês de setembro.

A intenção de Guto Ferreira e proporcionar descanso para um e dar ritmo de jogo para outro. “Um time não se faz apenas com 11 jogadores porque cada jogo nos impõe um tipo de situação. O ideal é ter 18, 20, 22 ou até mais no elenco em condições de entrar e dar sua parcela de contribuição”, explica.

O treinador, inclusive, lembrou o exemplo de Raphael Silva. “Eu agradeço demais aos atletas que estão entendendo a nossa forma de trabalhar. O Raphael nunca deixou de se empenhar nos treinos e ficamos muito feliz com isso. Com Renato e Adrianinho, é a mesma coisa", disse, lembrando que o zagueiro não vinha sequer participando do banco e, na última sexta-feira, atuou como titular na vaga de Diego Sacoman. "Todos, estão de parabéns porque entenderam como é fazer parte de um conjunto”, disse.

O volante Fernando Bob, que retorna ao time, garante que a troca de Adrianinho por Cajá não vai mudar muita coisa. “É difícil fazer comparação entre os dois. Para mim, são muito parecidos tanto no talento e quanto na qualidade. Ambos, conseguem ver as jogadas antes que a gente. Assim, fica fácil jogar ao lado deles. Quem jogar, estará bom para a Ponte”, elogia. (PS/AAN0

Escrito por:

Paulo César Dutra Santana