Publicado 06 de Setembro de 2014 - 17h10

Por Bruno Bacchetti

Bruno Bacchetti

DA AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

Depois de uma semana conturbada, com a renúncia do então presidente Álvaro Negrão e ameaça de greve, o Guarani conquistou um ponto importante na luta contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro da Série C. O Bugre ficou no 0 a 0 o Guaratinguetá, ontem, na Arena Barueri, pela 14ª rodada. Se o empate não serviu para fazer o Guarani encostar no G-4, ao menos garantiu o time fora da zona de rebaixamento, na oitava colocação, com 16 pontos. O Guará é o quarto colocado, com 20 pontos, mas pode deixar a zona de classificação no complemento da rodada.

O Guarani volta a campo no próximo sábado para enfrentar o Duque de Caxias, às 18h30, no estádio Décio Vitta, em Americana. Será o último jogo do Bugre com portões fechados após punição do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). A partida seria disputada em Bragança Paulista, mas o time sub-17 do Bragantino tem compromisso no mesmo dia e horário e a mudança já foi confirmada pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Sem conseguir efeito suspensivo para o técnico Vágner Benazzi, o Guarani mais uma vez foi comandado no banco de reservas pelo auxiliar-técnico Darci. Suspenso por seis jogos quando dirigia o Paysandu, Benazzi cumpriu a quarta partida de gancho e acompanhou o jogo pelas tribunas do estádio.

Para tentar anular o estilo de jogo do Guaratinguetá, de muita movimentação e constante troca de passes, o Bugre adotou a marcação sob pressão na saída de bola do adversário. A tática não surtiu o efeito desejado e o time do Vale do Paraíba ficou a maior parte do tempo com a bola nos pés. O Guarani chegou esporadicamente no contra-ataque e criou duas boas chances de vencer.

A melhor oportunidade do Bugre no primeiro tempo foi do atacante Silas, aos 20. O camisa 9 recebeu dentro da área, girou e bateu de canhota. O goleiro Felipe Alves se esticou para espalmar.

Na saída para o intervalo, Fumagalli elogiou a postura do Guarani no primeiro tempo. "A gente sabia que eles teriam essa posse de bola, mas estamos bem postados. É ter tranquilidade agora no segundo tempo para fazer o gol e sair com a vitória".

No entanto, o Guarani não seguiu os conselhos do ídolo e no segundo tempo o jogo seguiu na mesma toada. Com Silas isolado no ataque, o Bugre teve dificuldades para chegar ao gol do Guará. Mas em uma das poucas finalizações, quase marcou aos 18. O centroavante recebeu cruzamento da esquerda, girou em cima do marcador e chutou no travessão. Pouco depois, Silas sentiu uma lesão na coxa e foi substituído por Leleco. No fim, o Guará pressionou e o Bugre segurou o empate.

Escrito por:

Bruno Bacchetti