Publicado 07 de Setembro de 2014 - 5h33

Outra vantagem da região é oferecer chances de negócios para os novos empreendedores. Caso da Alpes, que nasceu pelas mãos de Pedro Henrique de Souza e Alberto Vieira Degrecci - e não parou mais de crescer.

“A automação industrial é fundamental em um ambiente de muita concorrência e de busca de controle de custos Nós oferecemos soluções de automação industrial com foco no desenvolvimento de softwares, mas também temos parceiros que comercializam os hardwares”, detalha.

Facilitar a vida dos empresários também é o foco da Blueforge. O sócio da empresa, Ricardo Daniel Silva, afirma que a startup criou o software online SINFe, voltado para a gestão de notas fiscais no Brasil.

“É um produto que auxilia as empresas e os contadores no gerenciamento da emissão das notas fiscais eletrônicas. Como está on-line, o sistema permite a resolução de qualquer problema que surja no processo”, diz. Ele afirma que o fato de estar em uma região que privilegia a tecnologia favorece a disseminação do produto, mas Silva observa que um obstáculo das startups ainda é a busca de recursos.

Investidores

Atualmente, Campinas e região têm grandes empresas que nasceram como startups. A necessidade de fortalecer os novos empreendimentos fez surgir o Inova Ventures Participações (IVP), que é uma empresa de participações com 48 sócios.

Um deles, Bruno Rondani, afirma que o grupo quer reforçar o volume de recursos e vai buscar novos investidores. “Aportamos recursos em quatro empresas e vamos buscar novos sócios. Também queremos reforçar a estratégia de capacitar os empreendedores para que aprendam a construir um negócio”, diz.

Rondani ressalta que a região é foco de vários projetos para reforçar o empreendedorismo. Ele cita as aceleradoras, como a Aceleradora de Campinas (parceria entre a Prefeitura e o Núcleo Softex), o programa Desafio Brasil e as incubadoras, como a Incubadora de Empresas de Base Tecnológica da Unicamp (Incamp) - que é parte da Agência de Inovação (Inova) da universidade e abriga atualmente 14 incubados. No total, 40 empresas já foram graduadas. (Adriana Leite/Da Agência Anhanguera)

Empreendedores estão em várias cidades da RMC

Os empreendedores estão espalhados pelas várias cidades da Região Metropolitana de Campinas (RMC) - e mesmo endereços que parecem não ter relação com alta tecnologia abrigam empresas que criam inovações.

A Promip, instalada em Engenheiro Coelho, por exemplo, foi a primeira empresa a receber recursos do recém-criado Fundo de Inovação Paulista. O fundo foi criado pela Desenvolve SP - Agência de Desenvolvimento Paulista e tem sócios como o Serviço Brasileiro de Apoio às Pequenas e Microempresas (Sebrae) e a Caixa Andina de Fomento (CAF).

O sócio da empresa, Marcelo Poletti, comenta que os recursos aplicados serão de R$ 4 milhões. “A empresa atua com biotecnologia. A Promip tem uma biofábrica e campo de testes em Engenheiro Coelho, onde fica a sede da empresa. Nosso primeiro produto foi um insumo biológico com ácaros predadores”, diz.

Poletti afirma que o portfólio da empresa deve crescer nos próximos 18 meses com novos produtos como uma vespa para controle de pragas na soja. A Promip é uma startup que nasceu do desejo de ter um negócio próprio de agronômos dentro da incubadora da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq).

“O fundo paulista é um avanço e dará um novo impulso às empresas de base tecnológica no Estado de São Paulo”, ressalta. Ele comenta que a empresa tem uma biofábrica e quatro laboratórios. (AL/AAN)