Publicado 06 de Setembro de 2014 - 5h32

Se a eleição já estava complicada com tudo o que aconteceu este ano, um novo ingrediente causou desespero em diversos candidatos. O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa resolveu soltar o verbo em sua delação premiada e citou mais de 60 políticos, entre deputados, senadores, um governador e partidos que teriam recebido propina de contratos bilionários da estatal. O depoimento foi dado à Polícia Federal dentro das investigações da operação Lava Jato.