Publicado 10 de Setembro de 2014 - 5h32

A angústia do torcedor do Palmeiras em ver o time perto da zona do rebaixamento do Campeonato Brasileiro pode terminar hoje e existem motivos para acreditar que isso é possível. No Pacaembu, às 19h30, pela 20 rodada, a equipe entra em campo otimista pela mudança recente de técnico e enfrenta o Criciúma, adversário direto na briga contra a degola e que não ganha há nove rodadas.

O cenário é o ideal para iniciar uma reação. Pela abertura do segundo turno, o Palmeiras, na 16 posição, joga com o apoio da torcida contra um rival que está uma posição atrás e tem o mesmo número de pontos (18).

Será a primeira partida do técnico Dorival Júnior em São Paulo e o elenco garante ter recuperado a confiança depois do empate no último domingo, fora de casa, contra o Atlético Paranaense, quando jogou com um a menos nos 30 minutos finais.

"A partir desse jogo podemos deixar para trás a fase ruim e achar mais motivação. É a chance de recomeçar", disse o atacante Diogo. O jogador está escalado e será um dos três armadores da equipe, que novamente será escalada no esquema 4-2-3-1.

Dorival Júnior treinou nos dois últimos dias com a mesma formação utilizada em Curitiba. A ênfase nos trabalhos táticos foi em encurtar os espaços e priorizar toques rápidos, com inversões e ultrapassagens pelas laterais do campo. O técnico tem pedido insistentemente para compactar o time.

A única troca foi a saída do zagueiro Wellington, machucado, para a entrada do uruguaio Victorino. O lateral-esquerdo Juninho está mantido como meia. "O Dorival tem passado bastante confiança para a gente e falou que contra o Criciúma é uma excelente oportunidade para a gente ganhar", afirmou Diogo. A vitória significa se distanciar do rebaixamento e pode ser o primeiro triunfo do clube depois de completar 100 anos. (Da Agência Estado)

PALMEIRAS

Fábio; Weldinho, Tobio, Victorino e Victor Luís; Renato, Marcelo Oliveira e Juninho; Diogo, Leandro e Henrique. Técnico: Dorival JúDonior.

Dorival diz que não tem rixa no elenco

O técnico do Palmeiras, Dorival Júnior, negou existir problemas de relacionamento entre brasileiros e estrangeiros dentro do elenco da equipe. O treinador contou que conversou com os atletas para garantir a eles que teriam o mesmo espaço dado aos brasileiros dentro do time, mesmo com a saída do técnico argentino Ricardo Gareca.

"Não tem problema de relacionamento. Conversei com oito estrangeiros. Todos disseram que foram muito bem recebidos. Há momentos em que as coisas não acontecem. Acompanhamos o trabalho do Ricardo Gareca e sabemos o potencial de um profissional como ele", disse. O argentino indicou ao clube quatro compatriotas (o meia Allione, o zagueiro Tobio e os atacantes Cristaldo e Mouche). (AE)

BOTAFOGO

Andrey; Gabriel, Bolívar, André Bahia e Júnior César; Aírton, Rodrigo Souto, Zeballos e Wallyson; Emerson e Ferreyra. Técnico: Vagner Mancini.