Publicado 08 de Setembro de 2014 - 5h32

Lewis Hamilton largou mal, caiu para quarto, mas se recuperou e induziu o rival Nico Rosberg a um erro para vencer o GP da Itália de Fórmula 1, sua primeira conquista desde o início de julho. O alemão chegou em 2, à frente de Felipe Massa, que garantiu seu primeiro pódio desde maio de 2013, no GP da Espanha.

O brasileiro foi o mais aplaudido pela torcida italiana na primeira vez que correu em Monza depois de ter saído da Ferrari. Porém, com os 15 pontos conquistados por ele e os 12 de seu companheiro Valtteri Bottas, a Williams ultrapassou os italianos no Mundial de construtores. “É muito especial voltar ao pódio, ainda mais aqui na Itália, onde passei a maior parte da carreira. Estou muito feliz pelo primeiro pódio com a Williams ter sido aqui diante desses torcedores fanáticos. Não visto mais vermelho, mas tenho os torcedores no coração”, afirmou o brasileiro, que correu por oito temporadas na escuderia.

Há tempos o piloto dizia acreditar que este seria o melhor final de semana para a Williams devido às características da pista, que privilegia carros com boa velocidade de reta. Porém, Massa agora acredita que o time pode se consolidar como a segunda força do campeonato. "Saio daqui satisfeito, pois acho que daqui para frente vamos continuar assim, brigando por pódios. Saio ainda mais contente pelos pontos que conquistamos para a equipe. Eu tenho ainda muito a crescer, mas a equipe tem crescido de maneira extraordinária", comemorou.

Satisfação também foi a palavra de ordem para Hamilton, que vinha perdendo pontos em relação a Rosberg nas três provas anteriores. A desvantagem do inglês diminuiu de 29 para 22 pontos após a vitória em Monza. “A equipe disse que queria uma dobradinha e eles conseguiram”, ironizou o piloto, que foi tirado da briga na última corrida, na Bélgica, por um furo de pneu causado por seu companheiro. “Foi estranho o que aconteceu na largada, foi um problema que nunca tinha tido antes e não tinha ideia do que deveria fazer. Depois, quando cheguei atrás de Nico, meu engenheiro disse que eu deveria ficar atrás para atacar no final, mas eu sabia por experiências anteriores que não era o melhor a fazer, e escolhi outra rota.”

Rosberg, por sua vez, admitiu o erro que o fez perder a liderança para Hamilton, na volta 29. O alemão perdeu a freada da primeira chicane e saiu da pista. “Precisava melhorar meu ritmo porque Lewis estava chegando e isso resultou no erro. Ainda assim é um segundo lugar e marquei muitos pontos, não é um desastre.”

Um dos nomes do GP da Itália, Daniel Ricciardo creditou à estratégia da Red Bull o quinto lugar que conseguiu depois de uma largada ruim. O piloto retardou sua parada e terminou a prova com pneus em melhores condições, conseguindo abrir caminho no meio do pelotão com grandes manobras.

“A estratégia ajudou hoje (ontem), pois manteve os pneus novos o bastante para conseguirmos dar aquelas voltas rápidas no final. Vi os carros na minha frente pararem em meu ritmo ainda era bom, então pensamos que poderíamos tentar algo diferente e isso nos ajudou no final da corrida”, afirmou Ricciardo. (Da Agência Total Race)