Publicado 10 de Setembro de 2014 - 7h21

Por Milene Moreto

Milene Moreto - ig

AAN

Milene Moreto - ig

Não pode...

Antes de a campanha começar, a Mesa Diretora da Câmara de Campinas publicou regras para definir quais seriam as permissões dentro da Casa. São poucas proibições, mas uma delas elimina qualquer tipo de publicidade nas áreas comuns do prédio. Pois bem, em audiência pública realizada recentemente, várias revistas do então candidato Eduardo Campos ao lado de Marina Silva (PSB) foram parar no balcão de recepção do plenário. E estavam bem arrumadinhas.

...mas estavam lá

Durante a audiência, duas recepcionistas estavam no local. A Câmara informou ontem que o material de campanha foi colocado na área comum por alguém que esteve na Casa para acompanhar a reunião e que esse tipo de propaganda é proibido. As funcionárias, segundo o Legislativo, assim que perceberam retiraram as revistas. A presidência da Câmara também informou que repassou mais uma vez as orientações aos servidores.

Frase

Nós registramos alguns atrasos nos pagamentos, mas são pequenos. Antes tinha atraso de seis meses. Agora é de, no máximo, 30 dias.(Do secretário de Finanças, Hamilton Bernardes, sobre o atraso no pagamento de fornecedores e prestadores de serviços em Campinas).

Sem dindim

O pessoal que acompanha as ações referentes ao serviço público da região do Campo Grande conta que por lá há registros de falta de diesel e de gramas. Os caminhões estão no local, mas segundo informações, os funcionários não fazem o serviço porque o repasse da Prefeitura ainda não foi realizado às empresas prestadoras. O governo assumiu que existe atraso em alguns pagamentos, mas que é pequeno.

A crise

Segundo o secretário de Finanças, Hamilton Bernardes, a crise econômica no Brasil fez diminuir alguns repasses e afetou diretamente muitas prefeituras. Em Campinas, com a receita da cidade, segundo o secretário, os pagamentos podem até sofrer alguns atrasos, mas são feitos.

Muito menor

Bernardes também fez um comparativo. Disse que em gestões anteriores o atraso era superior a seis meses e que agora, seguindo um cronograma de pagamento, o período diminuiu. “Tem prefeituras pequenas que não conseguem nem pagar seus funcionários. Por aqui não temos esse problema e não corremos esse risco”, disse o secretário.

Bloquetes

Os vereadores analisam hoje um projeto de lei que pretende autorizar a pavimentação nos bairros Gargantilha, Carlos Gomes e Monte Belo com bloquetes ou paralelepípedos. Segundo o autor da proposta, o vereador Luiz Henrique Cirillo (PSDB), o tipo de pavimentação é o permitido para regiões que integram a Área de Proteção Ambiental (APA).

Discussão

No ano passado houve uma grande discussão sobre o tema. Os moradores não reclamaram das questões ambientais, mas buscavam uma solução, já que a falta de asfalto acarretava em vários problemas de infraestrutura nos bairros. A proposta do tucano prevê a pavimentação com esses materiais de trechos dos bairros utilizados, por exemplo, pelo transporte público e para acessos. O projeto será votado em primeira discussão (legalidade).

Busão

A Comissão de Segurança Pública da Câmara de Campinas debate hoje o problema da depredação dos ônibus na cidade. Os atos de vandalismo são frequentes e, na maioria das vezes, praticados por jovens aos finais de semana. Até o final de agosto, 81 veículos foram alvo das ações dos vândalos. As regiões com mais ocorrências são as do Parque Oziel, Campo Grande e Ouro Verde. Foram convidados para a discussão representantes das polícias, da Guarda Municipal e das empresas de ônibus. O debate ocorre às 13h30, no plenarinho.

Escrito por:

Milene Moreto